Proença-a-Nova, Ciência Viva atrai uma centena de participantes

Ciência Viva no Verão em rede atrai mais de uma centena de participantes

Observação nocturna de insectos, sessões de astronomia, saídas de campo até à praia fluvial do Malhadal e ao Vale Almourão e o conhecimento das árvores e plantas aromáticas do Centro Ciência Viva da Floresta foram algumas das actividades do programa Ciência Viva no Verão que atraíram mais de uma centena de participantes.

As actividades que despertaram mais interesse foram “O que contam as estrelas” e uma das novidades deste ano: “Insectos à noite”.

A primeira iniciativa, realizada nos dias 17 de julho e 9 de agosto, contou com 17 participantes em cada uma das sessões, numa visita guiada com observação dos astros com o telescópio digital Stellina, orientada por José Matos e Emanuel Santos da Associação de Física da Universidade de Aveiro.

A tertúlia ao ar livre “Insetos à noite”, no dia 24 de julho, no CCV da Floresta, teve também 17 participantes, que aprenderam sobre a diversidade de insectos que podem ser observados à noite, seguida de observação de borboletas nocturnas e outros insectos atraídos à luz por armadilha luminosa, orientada por Eva Monteiro do TAGIS.

“Os segredos do Vale Almourão” foi outra das actividades muito participadas em ambas as datas, 14 e 29 de agosto, que decorreu na aldeia de Sobral Fernando, onde os participantes visitaram a impressionante garganta escavada pelo Rio Ocreza nos últimos dois milhões de anos, que divide a Serra das Talhadas em duas poderosas cristas quartzíticas, acompanhados por Marta Palhim.

As “Char’Arcas de Noé” foi outra das iniciativas inéditas este ano e aconteceu no dia 8 de agosto, no CCV da Floresta, e contou com uma visita, acompanhada por Jael Palhas e Francisco Alejandro López, a charcas para observação da fauna e flora aquáticas, com destaque para espécies ameaçadas e espécies invasoras, terminando no CharcoComSol2, no CCV da Floresta.

O programa da Ciência Viva no Verão contou ainda com uma saída de campo no percurso do Malhadal para a observação dos ciclos-de-vida, ecologia e curiosidades dos insetos comuns do Malhadal, uma visita às “Aromáticas do Centro Ciência Viva da Floresta”, um convite para “Descobrir das Árvores do CCV da Floresta”, uma palestra sobre “Bugalhos: Histórias de paixão, lutas e especulação” e uma saída de campo aos “Fósseis de Penha Garcia”, com a colaboração do Geoparque Naturtejo.

Todos os anos, a rede de Centros Ciência Viva organiza diversas acções de ciência e cultura, cuja 24.ª edição da Ciência Viva no Verão destacou o projecto Circuitos Ciência Viva, com o lema “Deixe-se guiar pela curiosidade!”.

 

 

 

 

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Ciência, Destaques, Proença-a-Nova, Turismo com as tags , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *