Proença-a-Nova, incêndio de Julho queimou 466 hectares

Incêndio de julho queimou 466 hectares de floresta em Proença-a-Nova

O incêndio florestal que começou no dia 25 de julho no concelho de Oleiros, estendendo-se posteriormente a Proença-a-Nova e Sertã, destruiu 466 hectares de floresta e algumas áreas agrícolas no concelho de Proença-a-Nova, de acordo com o levantamento realizado pelo Gabinete de Proteção Civil e Florestas do Município.

Os prejuízos ultrapassam os 200 mil euros, contabilizando-se o investimento necessário para recuperar as infraestruturas afetadas, para controlar a erosão, tratar e proteger encostas, para prevenir a contaminação e assoreamento e recuperação de linhas de água, e os prejuízos em termos de biodiversidade.

Nos dias em que esteve ativo, o incêndio preocupou principalmente as populações de Corgas e Fatelo que estiveram na linha do fogo.

A limpeza dos cem metros da faixa de proteção dos aglomerados populacionais revela-se fundamental para proteger as aldeias em situações extremas como as que são vivenciadas durante os incêndios de grandes dimensões, libertando os meios de socorro para combater o fogo noutros locais.

O Município tem em curso o programa de reconversão de áreas florestais em áreas agrícolas, apoiando os proprietários dos terrenos nas faixas dos cem metros com movimentação de terras e oferta de árvores e plantas, mas apenas nas situações em que há o acordo escrito de todos esses proprietários.

Depois da Mó, a localidade das Fórneas é a que se prepara para implementar este projeto que está disponível para qualquer aldeia do concelho, cumprindo-se o disposto em regulamento. Adicionalmente, o Município está a articular com as Juntas de Freguesia a disponibilização de destroçadores de sobrantes para que fora da época crítica dos incêndios florestais, em que os trabalhos na floresta se encontram proibidos, os proprietários evitem a realização de queimas, considerando-se as estatísticas que apontam para um número muito elevado de ocorrências em resultado desta prática.

Recorde-se que, desde 2016, quatro grandes incêndios assolaram o concelho de Proença-a-Nova: a 7 de setembro de 2016, do Braçal até à Figueira e Atalaias; a 23 de julho e 9 de setembro de 2017 na zona sul do concelho, de incêndio proveniente da Sertã e que alastrou também a Mação; e o de 25 de julho deste ano.

No conjunto, estas quatro ocorrências foram responsáveis pela destruição de 8.786 hectares de floresta no concelho proencense.

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Bombeiros, Destaques, Proença-a-Nova com as tags , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *