Nossa Senhora da Azenha, uma Santa de Monsanto e da Região Beirã

Nossa Senhora da Azenha, uma Santa de Monsanto e da Região Beirã

O povo da Beira Baixa tem uma cultura muito particular, própria e distinta, dentro do nosso pequeno Portugal.

Com muitos defeitos também temos algumas qualidades, somos um povo poupado e sofredor que soube sobreviver numa terra pouco fértil, mas aceitando as adversidades como dons da natureza, que temos que superar“.

A aldeia de Monsanto, situada na zona raiana da Beira Baixa, tem na sua génese uma forte cultura beirã.

A festa de Nossa Senhora da Azenha realiza-se no segundo fim de semana de Setembro, de sexta-feira à tarde até ao domingo à noite, com eventos culturais, recreativos e de lazer, procurando manter as tradições dos nossos antepassados e receber bem todos os visitantes, dos mais jovens aos menos jovens.

Esta festa tem profundas raízes religiosas, culturais e históricas, tem dimensão regional e é uma referência muito importante para a grande maioria dos Monsantinos e dos naturais e residentes das aldeias vizinhas.

Tem havido grande empenho na divulgação da gastronomia local e regional, nomeadamente ensopado, sangria, borrelhões, prova de chouriço, e outros petiscos.

Nas décadas de 60 e 70 do século passado, a regra era as pessoas deslocarem-se a pé, de burro, de macho ou de cavalo, levar o almoço nos alforges e, depois de concluída a santa missa e a procissão, fazer o almoço, em piquenique e em família, à sombra das azinheiras. Depois de almoço iam à festa, fazer compras de pequenas recordações, faziam as despedidas à santa e desejavam um bom regresso à festa do ano seguinte.

Nas décadas de 80 e 90, com a massificação do automóvel, as pessoas começaram a ir de automóvel e muitos deixaram de fazer o almoço em piquenique em família, regressavam a casa para almoçar ou almoçavam nos restaurantes da festa.

Por razões de saúde pública, resultantes da pandemia COVID-19, a festa não poderá realizar-se no ano de 2020.

É com grande tristeza que a Comissão de Festas vem comunicar o cancelamento da festa de Nossa Senhora da Azenha em 2020.

O respeito pelos nossos antepassados e pela nossa cultura deixa-nos o compromisso e a esperança de realizar uma grande festa em 2021.

Se o processo da pandemia melhorar e se houver condições para realização da procissão da Igreja Matriz de Monsanto para a ermida de Nossa Senhora da Azenha, no dia 13-09-2020 (domingo), seguido da missa na capela, a Comissão de Festas dará todo o apoio para que estes dois eventos, com profundo espírito religioso, se realizem.

Porque vivemos um período de grande incerteza, decidiremos e divulgaremos, durante o mês de Agosto, o que poderemos fazer.

Não sendo possível desenvolver atividades de restaurante e bar, para manter o distanciamento social e evitar aglomeração de pessoas, a Comissão assegurará a limpeza e decoração da capela.

No telheiro colocaremos algumas mesas e bancos, respeitando o distanciamento social, para que seja possível, a algumas famílias, fazer piquenique em família, como era tradição no passado.

  • Com base em nota da Comissão de Festas

 

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Idanha-a-Nova, Turismo. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *