ÚLTIMA HORA – Presidente da Câmara de Proença-a-Nova e PSD tomam posição -Instituto de São Tiago encerra – Escola pública recebe alunos

ÚLTIMA HORA

Pela importância, transcrevemos a posição do Presidente da Câmara de Proença-a-Nova e do Executivo camarário a propósito do Instituto Vaz Serra

Comunicado sobre o encerramento do Instituto de São Tiago

A Câmara Municipal de Proença-a-Nova foi informada no dia 1 de Setembro pela direção do Instituto de São Tiago – Cooperativa de Ensino C.R.L. da sua decisão de encerrar a instituição de ensino após 31 anos dedicados à nobre missão de ensinar, tendo passado pelo Instituto centenas de alunos do concelho de Proença-a-Nova que aqui completaram a sua escolaridade. Neste momento que é sempre difícil, importa enfatizar o trabalho que foi realizado pelo Instituto de São Tiago ao longo dos anos dignificando todos aqueles que trabalharam em prol da Instituição, endereçando uma palavra de profundo reconhecimento à Direção do Instituto e sua Direção Pedagógica na pessoa da professora Francelina Sousa.

O peso demográfico que é reconhecido por todos, com a consequente redução do número de alunos, esteve na origem desta decisão. Nestas três décadas, a Câmara Municipal de Proença-a-Nova, em articulação com a direcção do Instituto, sempre apoiou aquela Instituição na dinamização dos mais variados eventos que contribuíram para o enriquecimento dos alunos, nomeadamente a Estafeta Escolar, o Desfile e Concurso de Trajes com Materiais Reciclados, a Eco-escola, a cedência de transporte para visitas de estudo ou ainda contributos monetários para outras atividades igualmente relevantes, potenciadoras do crescimento dos jovens nas suas diversas aprendizagens.

Sendo da responsabilidade da Câmara Municipal de Proença-a-Nova o transporte entre as diversas localidades do concelho e o Agrupamento de Escolas, quero deixar uma nota de serenidade para todas as famílias assegurando este Município, como não podia deixar de ser, que os alunos terão transporte em viagens compatíveis com os seus horários escolares.

Termino este comunicado afirmando que, não obstante este momento de apreensão para a comunidade directamente afetada pela tomada de decisão do Instituto de São Tiago, os seus funcionários – corpo docente e não docente – merecem toda a nossa empatia e desde já estamos a trabalhar, em conjunto com a direção do Instituto, na procura de uma nova valência para aquele equipamento que tem reconhecida importância social, económica e política no concelho, para que este importante património possa ser colocado novamente ao serviço da população.

O presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova,

João Manuel Ventura Grilo de Melo Lobo

Paços do Concelho, 2 de Setembro de 2016

……………………………………

Comissão Política de Secção do PSD de Proença-a-Nova
Tomada de Posição – Encerramento do Instituto de S. Tiago (Sobreira Formosa)
Foi comunicado na passada quinta-feira, 1 de setembro de 2016, o encerramento do Instituto de S. Tiago, localizado em Sobreira Formosa.

Tendo sido este Instituto um dos 39 Estabelecimentos de Ensino com Contratos de Associação a quem o Governo “Socialista” decidiu retirar o financiamento para abrir novas turmas em início de Ciclo (5º, 7º e 10º Anos) por estarem localizados numa zona com oferta pública, vem a Comissão Política de Secção do PSD de Proença-a-Nova manifestar a sua tristeza e desagrado com a situação criada.
Vimos salientar as consequências negativas quer para os alunos (que terão de percorrer distâncias maiores, sair mais cedo e regressar mais tarde a casa, com implicações nos relacionamentos familiares e nos tempos de estudo extraletivos), quer para os funcionários, docentes e não docentes (que, como se percebe, perderão o emprego num local ao qual, muitos deles, deram mais de 20 anos da sua vida profissional), aumentando, deste modo, o desemprego na segunda maior Freguesia do nosso concelho onde a maioria reside, quer mesmo para o comércio e serviços da zona envolvente.
Registamos, com agrado, que o Município de Proença-a-Nova emitiu, posteriormente, um comunicado célere sobre este encerramento estranhando, no entanto, que, anteriormente, nem o referido Município, nem o Executivo da União de Freguesias de Sobreira Formosa e Alvito da Beira, e muito menos os Sindicatos que, em situações semelhantes de anteriores Governos tanto se indignaram, tenham tomado qualquer posição algo que só podemos atribuir à ligação política de todos ao Governo “das Esquerdas”, algo que, pelos vistos, de forma positiva, não aconteceu no concelho vizinho da Sertã onde o Instituto Vaz Serra manterá as portas abertas devido à intervenção positiva do Município.

Esperamos, pois, que o Município, como prometido, contribua, eficazmente, para um início de ano letivo “normal” para os alunos que terão de pedir transferência para outro(s) estabelecimento(s).
A Comissão Política de Secção do PSD de Proença-a-Nova deseja a estes alunos, às famílias, aos docentes e funcionários um futuro mais risonho que o presente que, infelizmente, agora lhes foi apresentado, mercê de políticas estranhas de um Governo que afirma apoiar medidas positivas para os nossos territórios de baixa densidade populacional.
Proença-a-Nova, 4 de setembro de 2016
Comissão Política de Secção do PSD de Proença-a-Nova

…………………..

Em menos de uma semana, mais um colégio com contrato de associação vai fechar portas

. Fim de financiamento público determina decisão

. Só haverá colégios financiados onde não exista alternativa pública o que é o correcto

O director do Instituto de São Tiago, em Proença-a-Nova, comunicou esta quinta-feira ao presidente da Câmara, João Lobo, que o colégio, actualmente com cerca de 60 alunos, não vai abrir portas. A decisão deverá ser hoje comunicada a pais, professores e funcionários.

O colégio foi um dos visados nos cortes do financiamento de turmas de início de ciclo decididas pelo Governo em maio.

De acordo com João Lobo, até ao ano passado, o colégio tinha uma turma financiada por cada ano, entre o 5.º e o 12.º anos, e este ano letivo teria apenas financiamento para uma.

O colégio é maioritariamente frequentado por alunos de Proença, mas também recebe estudantes dos concelhos vizinhos, como a Sertã e Oleiros.

O Presidente da Câmara de Proença-a-Nova garantiu que haverá lugar para todos na escola pública.

O primeiro caso de encerramento foi conhecido esta semana. A cooperativa de ensino Ancorensis, de Vila Praia de Âncora, já não abre portas este ano lectivo e vai despedir os 67 trabalhadores, uma medida que merece o repúdio “veemente”da União de Sindicatos de Viana do Castelo e do Sindicato dos Trabalhadores de Comércio e Serviços. Argumentam que o fecho “inverte totalmente a decisão”, comunicada em julho, de que o colégio daria início ao ano lectivo com 11 turmas. Depois de uma reunião com os responsáveis da escola, os sindicatos marcaram para terça-feira um plenário.

Alguns pais foram ontem à cooperativa de ensino para tratar do processos de transferência dos filhos e foram vários os funcionários e professores que se apresentaram ao primeiro dia de serviço.

……………………………………………

O drama dos professores é o drama do país

. 1572 docentes dos quadros não têm turmas, mais 73% do que em 2014;

. Decréscimo de alunos, gera desemprego de professores;

. Centros urbanos necessitam de professores, interior precisa de crianças;

. Políticas objectivas de incentivo à natalidade são uma necessidade crucial e estratégica.

Colégio em Proença-a-Nova

Colégio em Proença-a-Nova

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Comunidades, Destaques, Proença-a-Nova com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *