“CIMBB”, atribuiu prémios do Concurso de Vinhos

Monte Barbo, Adega Alto Tejo e Horta de Gonçalpares têm os melhores vinhos da CIMBB

Todos os vinhos que participaram no concurso “Os Melhores Vinhos da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa” obtiveram mais de 75 pontos na votação realizada por um painel de provadores de nove elementos, numa cerimónia aberta que decorreu no dia 9 de abril no Hotel das Amoras, em Proença-a-Nova, obtendo por isso distinções de Prata e Ouro. Monte Barbo – concelho de Proença-a-Nova (branco – colheita de 2015), Adega Alto Tejo – concelho de Castelo Branco (tinto – colheita de 2015) e RAYA (Horta de Gonçalpares) – concelho de Castelo Branco (tinto – engarrafado), foram os mais votados em cada categoria, recebendo por isso a distinção de Ouro.

Nos tintos engarrafados houve ainda duas outras distinções de Ouro, atribuídas ao Monte Barbo (Reserva de 2013 e Reserva de 2012).

Todos os restantes vinhos a concurso receberam distinções de prata: Alto Tejo e Alvelus (nos brancos), Monte Barbo e Alvelus (tinto – colheita de 2015) e Alto Tejo (tinto – engarrafado).

Achei os brancos curiosos, estão muito interessantes. Na parte dos tintos, claro que os engarrafados já têm outra estrutura, mas os da colheita de 2015, sem estarem prontos ainda, prometem. São vinhos muito frescos, com um toque de esteva e de eucalipto”, sintetizou Nuno Ciríaco, blogger da Adega dos Leigos, que integrou o painel de provadores.

Participaram ainda na prova cega três enólogos (Pedro Soares, António Selas e Manuel Póvoa), um escanção (Luís Moura), um jornalista da imprensa regional (João Carrega, da Reconquista), um representante do comércio de vinhos (João Rodrigues) e dois representantes da CIMBB (José António Branco e Daniel Martins). Francisco Antunes, enólogo que apoiou a instalação do Laboratório de Vinhos e Mostos do Centro Ciência Viva da Floresta, presidiu ao júri do concurso.

Os vinhos da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (que integra os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão) que concorreram são titulares de marca com certificado de produtos vínicos DOC Beira Interior ou IG Terras da Beira e já têm os seus vinhos no mercado.

Apesar de não ser uma região tão conhecida pela produção de vinho, estão a ser dados passos largos no sentido de uma maior qualidade, tendo sempre em atenção as características únicas e potencialidades do território.

Esta iniciativa está integrada na estratégia PROVERE Beira Baixa Terras de Excelência, que a CIMBB, com o apoio comunitário, tem vindo a realizar de promoção e valorização dos produtos agroalimentares da região sob a denominação de produtos da Beira Baixa.

Júri da CIMBB

Júri da CIMBB

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Comunidades, Destaques, Economia com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *