” Pensar a Beira Baixa” reuniu pela primeira vez

‘Pensar a Beira Baixa’, esta iniciativa pioneira na região, promovida pela AEBB – Associação Empresarial da Beira Baixa, tem na sua génese a vontade de reunir algumas ‘forças vivas’ da região, conjugando diversas áreas de intervenção (económica, social, politica, cultural, saúde, educacional, investigação, lazer, …), no sentido de proporcionar momentos de reflexão e debate sobre um conjunto de questões que afetam o ‘pulsar’ da Região Beira Baixa, assim como, conjugar esforços e promover sinergias, definindo estratégias de atuação, potenciando novas soluções, com vista a projetar a região para outros níveis de desenvolvimento sustentado.

O Grupo ‘Pensar a Beira Baixa’, foi constituído e reuniu, a primeira vez, no passado dia 23 de julho, com o envolvimento de todos os participantes para um primeiro contato com a iniciativa, com a partilha dos objetivos gerais, a discussão do formato de funcionamento, a explanação das metodologias de atuação e o estabelecimento da planificação, das acções futuras.

Para o presidente de direção da AEBB, José Adelino Gameiro, esta iniciativa pretende ser a união, de diversas vontades, em prol do desenvolvimento económico da região Beira Baixa.

Este dirigente associativo, referiu ainda que “este grupo, terá a participação voluntária, ativa, de pessoas desta Região, com ligação forte à mesma, quer seja pela residência, por ligação económica, por responsabilidades na condução dos destinos económicos, sociais e de gestão do território, ou por e simplesmente com afecto pela mesma, mas com conhecimento suficiente da mesma, para dar o seu contributo”.

Salientou ainda que “será um teste de por à prova o verdadeiro interesse da Região, pela Região da Beira Baixa”.

Por fim referiu que o grupo ‘Pensar a Beira Baixa’ poderá ainda receber outros participantes da região ,que venham mais tarde a juntar-se à iniciativa, potenciando a obtenção dos objectivos.

Pensar a Beira Baixa

Pensar a Beira Baixa

 

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Economia com as tags , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *