” O Regresso”, por Sandra B. Neves

O Regresso
«Na rua onde aprendi a ser pessoa conheci os meus primeiros amigos.
Bairro piscatório, de pequenas casas térreas distanciadas umas das outras por exíguos jardins onde se agigantavam somente as árvores de fruto, sempre o banhou o sol e o alcançou a voz próxima do rio.
Coabitavam ainda, nesses idos de setenta, avós e netos, os velhos varrendo eiras e cultivando terras e as crianças brincando numa rua onde apenas a espaços corriam automóveis.
A liberdade, recentemente alcançada, pertencia-nos.
Aos seis anos dispersávamos a alegria sobre os lancis, regressando ao colo materno quando éramos chamados do portão. 
O tempo apartou-nos como dilui quase tudo o que não tem continuidade.
Décadas passaram-se.
Regressamos agora.
Os velhos que amámos morreram e os pais deixaram-nos casas à espera de renovações e afagos. Casas que nos conhecem e nos recebem sorrindo aos nossos semblantes tão alterados. Elas não envelhecem. Chegamos acompanhados de filhos e memórias. Reencontramo-nos e abraçamo-nos junto às fachadas com uma intimidade feita de anos que não diluíram recordações.
Mas as crianças de agora já não enchem as ruas de gritos e canções.
Os meses trouxeram notícias assustadoras, de desaparecimentos, ataques e assaltos.
E os pais ocultam os infantes por detrás de cortinas rendilhadas e de medos.
Mal se conhecem.
Nós sim.
E, por isso, quando a estrada ainda arqueia sob o peso dos nossos passos, sorrimo-nos com a proximidade de quem nunca chegou a sair do jogo da macaca e do atirar do peão e saudamo-nos como quem, no dia, seguinte, tem encontro marcado com a casa das bonecas.»
* Sandra B. Neves, Escritora
Sandra B. Neves

Sandra B. Neves

Nota do Director: Nesta já longa “batalha” de levar ao mundo, o interior e a região global onde está inserido, o nosso jornal conta agora com a prestigiada colaboração da Escritora Sandra B. Neves.
É um reforço prestigiante, que agradecemos.
Bem vinda Sandra.

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Educação, Inclusão, Nacional, Opinião com as tags . ligação permanente.

1 Response to ” O Regresso”, por Sandra B. Neves

  1. Joaquim Vitorino diz:

    A fixação de Jovens no interior, está cada vez mais difícil; poucos são aqueles que depois de partirem optam por regressar, porque as condições são praticamente nulas; alguns, voltam à terra que os viu nascer, por sentimentalismo romântico, ou para prestar homenagem a familiares que já partiram ou uma “visita rápida” aos pais ou avós idosos. O combate pela interioridade, faz-se com desenvolvimento económico e crescimento demográfico; não podendo uma coisa estar dissociada da outra. Num futuro não muito distante, aldeias inteiras ficarão desertas. Gostei do Artigo de Sandra Neves, a quem dou as boas vindas.
    J. Vitorino
    Cronista do Jornal de Oleiros, do Semanário “O Mundo Português”, Jornais de Vila de Rei, Povo de Portugal e Tinta Fresca.

Responder a Joaquim Vitorino Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *