Crónicas de um vizinho…

Cronicas de um vizinho…

Olha a sorte que eu tenho em ser só vizinho, assim já ninguém me virá dizer que santos da casa não fazem milagres. Na verdade eu também não quero vir para aqui fazer milagres, não sou santo, mas também não serei diabo, no entanto Oleiros é uma terra onde tenho alguns amigos e onde gosto de ir.

Gosto de escrever, gosto de comunicar, com bastante mágoa minha, vejo que agora a comunicação entre as pessoas já não é o que era, comunica-se, mas na maioria das vezes pouco se diz e muitas vezes nem se diz nada de palpável, apenas as banalidades que os novos meios de comunicação nos proporcionam.

Desde cedo senti este gosto pela comunicação, não apenas escrita, pois estive ligado à Radio Cruzeiro, que de Proença-a-Nova transmitia para a região, mas o que gosto mesmo é de escrever, sobre tudo e sobre nada, dizendo muito ou por vezes dizendo pouco, fazendo apenas um mero exercício para meu prazer.

Por vezes digo que escrever é como vestir um manequim, pode sair assim, mas também pode sair assado, como o pintor que preenche uma tela, quem escreve preenche uma folha de papel, depois leva-a ao veredicto dos leitores, uns gostam outros nem tanto.

Tenho um livro escrito que é uma recolha das cronicas que fui escrevendo para o jornal Cruzeiro da Juventude, pertença do Núcleo de Juventude de Proença, tenho outro pronto que saíra quando Deus quiser, porque o que eu gosto mesmo é de juntar as palavras, dar-lhes forma e algum conteúdo. Como todas as coisas na vida, houve alturas que debitava contos infantis em série, os netos era pequenos e a prenda de anos ou de natal era sempre um conto escrito sobre um tema que na altura eles mostrassem algum interesse.

Brinquedos arrumam-se num instante, partem e deitam-se fora, os contos guardam-nos religiosamente, têm futuro, para além disso não alinho nessa loucura que é o consumismo para que somos induzidos.

Então ficamos assim combinados, cá o vizinho vai aparecendo por aqui e, desde já agradeço o convite que me foi endereçado pela diretor do jornal, espero poder servir um pouco de entretenimento aos nossos leitores, de modo a desanuviar um pouco o espirito, que nos tempos que vão correndo não é tarefa fácil.

Façam o favor de ser felizes.

José E. Ribeiro

José E. Ribeiro

jemilioribeiro@gmail.com

Abril de 2015

Nota do Director: Cumprindo o desígnio de aprofundar a ligação à região global, saudamos a vinda do José Emílio Ribeiro que se junta a este esforço. Com a regularidade possível, estará nas nossas páginas. Bem vindo José Emílio.

PF

 

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Comunidades, Destaques, Proença-a-Nova com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *