Gravuras de David Almeida em Vila Velha de Ródão

A “Ética da Mão”, retrospetiva da obra do artista David de Almeida, em Vila Velha de Ródão

Vila Velha de Ródão tem patente ao público, desde o dia 14 de fevereiro, data da inauguração, uma exposição de gravuras de David de Almeida.

Designada por a “Ética da Mão”, a exposição resultou de uma parceria que envolveu o município de Vila Velha de Ródão, a Biblioteca Nacional e o Centro Português de Serigrafia, colaboração que tornou possível a mostra retrospetiva da obra de um ilustre e prestigiado artista português, reconhecido nacional e internacionalmente.

Deste artista multifacetado – pintor, escultor, gravador, ilustrador – autor de uma vasta obra que se espelha em praticamente todo o universo das artes plásticas, José Saramago, referindo-se a ele, discorre sobre as mãos que moldam, que gravam, e que são possuidoras de pequenos cérebros que revelam o oculto e transportam para o cérebro o conhecimento do real, das sensações e da criação artística.

A obra de David de Almeida contempla trabalhos que constituem o resultado de uma intensa e continuada caminhada à descoberta do património arqueológico português, que lhe proporcionou o contato com o tempo das antas e das “pedras escritas” que alguém, algures no tempo, deixou gravados na pedra. Foi esta “escrita” que trouxe o autor até Vila Velha de Ródão onde encontrou em Francisco Henriques, arqueólogo local, o interlocutor e o parceiro ideal na viagem pelo passado arqueológico das inspiradoras gravuras do Complexo de Arte Rupestre do Vale do Tejo, que David de Almeida há-de transpor, magistralmente, para a sua arte.

Desta viagem pelas terras de Ródão ficou a paixão pela paisagem e pelas raízes mais profundas dos primeiros habitantes do território nacional. Com este conhecimento e cumplicidade desenvolveu-se o compromisso de trazer até nós, à Casa de Artes e Cultura do Tejo, a exposição retrospectiva da sua obra, com uma selecção de trabalhos que foram Prémio Nacional de Gravura da Fundação Gulbenkian, em 1980, e muitas delas nunca antes expostas em Portugal.

Na inauguração da exposição, que contou com a presença das suas filhas uma vez que David de Almeida, lamentavelmente, nos deixou prematuramente, o presidente da Câmara Municipal, Luís Pereira, destacou o carinho e o entusiasmo que o artista tinha por esta exposição e o empenho que colocou para que a mesma fosse apresentada em Vila Velha de Ródão, lugar pelo qual tinha um espacial apreço. Agradeceu a todos os que tornaram possível a concretização do desejo mútuo de realizar esta exposição, mostra distintiva e marco de uma nova etapa que se pretende para a Casa de Artes, um espaço nobre e onde com regularidade, terão lugar eventos de prestígio para Ródão e para a Região da Beiras.

A Exposição a “Ética da Mão” é comissariada por João Prates, Diretor do Centro Português de Serigrafia, que proporcionou aos presentes uma viagem pela arte de David de Almeida, e é acompanhada por um catálogo que inclui a reprodução das obras expostas.

Antecedeu a inauguração da exposição um momento musical proporcionado por José Raimundo e Filomena Silva, professores e músicos da ESART, do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

A exposição estará patente ao público até ao dia 15 de maio de 2015 e poderá ser visitada, de segunda a sexta-feira, na Casa de Artes e Cultura do Tejo.

David de Almeida

David de Almeida

 

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Vila Velha de Ródão com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *