IMTT admite para breve circulação de matérias perigosas no Túnel da Gardunha

DECISÃO AGUARDA RELATÓRIO DO LNEC

O presidente do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT), João Carvalho, admitiu hoje que, brevemente, poderá ser levantada a interdição da circulação de transportadores de matérias perigosas no Túnel da Gardunha, na autoestrada da Beira Interior (A23).

Sinalética Produtos perigosos

“Foi feita uma análise de risco por parte da Faculdade de Engenharia do Porto e agora temos o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) a perceber essa análise de risco”, disse aos jornalistas o presidente do IMTT à margem de um simulacro no Túnel da Gardunha.

João Carvalho espera ter em sua posse, durante o mês de janeiro de 2015, o relatório do LNEC sobre o assunto.

“Esperemos que durante o mês de janeiro [2015] o LNEC tenha um relatório pronto para analisarmos e, depois, propormos ao Governo as medidas a tomar sobre a possibilidade de passagem de trânsito com mercadorias perigosas” no Túnel da Gardunha.

transporte-produtos1

Os transportes de materiais perigosos continuam, até hoje, proibidos de circular naquele túnel, situado no distrito de Castelo Branco, o que obriga as viaturas que transportam este tipo de matérias a circularem pelo centro das localidades mais próximas.

João Carvalho sublinhou que a interdição de circulação de transportes com matérias perigosas no Túnel da Gardunha está definida “numa portaria bastante antiga”.

À data da portaria, o túnel tinha apenas uma via de circulação para cada um dos sentidos.

“Não há necessidade de demorar muito tempo [esta decisão], até porque não faz muito sentido as mercadorias perigosas passarem no meio das localidades”, concluiu o responsável do IMTT.

*Com Lusa

Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Covilhã, Destaques, Fundão. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *