Rede de Judiarias promove homenagem a judeus portugueses na Holanda

ENTRE HOJE E DOMINGO

A Rede de Judiarias de Portugal (RJP), com sede em Belmonte, vai promover em Amesterdão uma homenagem aos judeus portugueses na Holanda, que terá como ponto simbólico a plantação de uma oliveira no Beth Haim – Portuguese Jewish Cemetery.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral da instituição, Jorge Patrão, explicou hoje que integram a comitiva portuguesa 12 pessoas, entre os quais presidentes de câmaras municipais, representantes das comunidades judaicas de Lisboa e Belmonte e responsáveis do Cátedra de Estudos Sefarditas – Alberto Benveniste e da Associação Portuguesa de Estudos Judaicos.

“Vamos estar na Holanda entre hoje e domingo e o objetivo desta viagem é assinalarmos os 400 anos da fundação do cemitério judaico português em Amesterdão, homenageando todos os que no período da inquisição tiveram de fugir de Portugal e ali se refugiaram”, especificou.

Jorge Patrão referiu que a decisão de fazer esta homenagem também está relacionada com o facto de “milhares de portugueses” terem sido sepultados naquele espaço, classificado como património protegido no World Monuments Fund e monumento nacional daquele país.

Jorge Patrão

Jorge Patrão

Os túmulos do albicastrense Elias Montalto (médico da rainha de França, Maria de Medici), de Menasseh Ben Israel (conhecido rabino amigo do pintor Rembrandt), de Ephraim Bueno, médico nascido em Castelo Rodrigo, ou dos pais do filósofo Spinoza são alguns dos exemplos mencionados pela RJP.

Do programa português, constam ainda a receção da comitiva portuguesa numa cerimónia oficial a realizar na câmara municipal da capital daquele país, a realização de uma reunião com a direção da Sinagoga Portuguesa de Amesterdão, bem como a visita a este espaço, que é “um dos mais simbólicos edifícios judaicos do mundo, um símbolo da diáspora judaico portuguesa e da história Sefardita”, frisou o responsável.

Está também previsto um encontro com os responsáveis pela Livraria Montezinos Ets Haim, uma biblioteca que é monumento nacional e está classificada como Património da Humanidade.

O objetivo é criar “sinergias com as entidades holandesas e destacar o enorme papel e contributo que os portugueses tiveram a nível da histórica judaica, não só naquele país como a nível mundial”, sublinhou.

A ação poderá também ter efeitos em termos do desenvolvimento do turismo judaico em Portugal, subsetor do turismo que tem crescido a nível nacional, como lembrou Jorge Patrão.

holocaust

A RJP foi criada em 2011 e tem sede em Belmonte, localidade do distrito de Castelo Branco onde se encontra a maior comunidade judaica no país.

Atualmente integram esta associação cinco regiões de turismo, duas comunidades judaicas em Portugal (Belmonte e Lisboa) e 28 municípios portugueses.

*Jornal de Oleiros/Lusa

Esta entrada foi publicada em Belmonte, Destaques, Política, Política Internacional. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *