Câmara do Fundão cria Centro de Formação da Cova da Beira

PARA QUALIFICAR MÃO-DE-OBRA NOS SETORES DO AGROALIMENTAR, DE NOVAS TECNOLOGIAS E POLIMENTOS

A Câmara do Fundão vai criar, em conjunto com várias instituições da região, o Centro de Formação da Cova da Beira, com o objetivo de qualificar mão-de-obra nos setores do agroalimentar, de novas tecnologias e polimentos de diferentes materiais.

Os protocolos de colaboração e memorandos de entendimento que visam a criação deste centro foram assinados hoje durante a conferência “Os Caminhos da Inovação”, organizada pelo Jornal do Fundão em parceria com a autarquia.

Polimento1

Em declarações à agência Lusa, o presidente do município, Paulo Fernandes explicou que o centro servirá de “chapéu” aos outros centros de formação mais específica nas referidas áreas e que entretanto já estão a ser desenvolvidos naquele concelho do distrito de Castelo Branco.

“Já tínhamos uma fileira formativa muito conectada com as empresas, mas não tínhamos ainda uma estrutura, um chapéu, que de alguma forma institucionalizasse essa oferta e que reforçasse o caminho a seguir nos próximos anos. Por isso posicionámos o concelho e a Cova da Beira no sentido de criar este centro de formação genérica que trabalhará, sobretudo, em três setores que consideramos vitais para o desenvolvimento regional”, sublinhou.

Formação

Paulo Fernandes especificou que o equipamento terá um “plano de formação plurianual para os próximos anos”, que também deverá ser candidatado ao próximo quadro comunitário de apoio.

“No protocolo das entidades fundadoras já nos disponibilizámos a criar uma associação sem fins lucrativos, que será uma entidade veículo que vai facilitar esse processo de candidaturas”, referiu.

O autarca também sublinhou que não haverá “formação a metro”, mas formação que “terá em conta as reais necessidades das empresas”, pelo que vai funcionar de forma concertada, evitando duplicações e permitindo maior eficácia.

“Teremos assim uma oferta continuada, planeada e mais intensiva porque temos também mais meios do fundo social europeu para esta região e para requalificarmos e qualificarmos os nossos recursos humanos especificamente para estas áreas”, lembrou.

Polimento

Segundo o autarca, que também admite posicionar este centro ao nível da formação em serviço público, o objetivo principal é criar um “viveiro de mão-de-obra qualificada que continue a contribuir para a atração de empresas e de pessoas”.

Entre as entidades parceiras do Centro de Formação da Cova da Beira estão a Universidade da Beira Interior, o Instituto Politécnico de Castelo Branco, o Agrupamento de Escolas do Fundão, a Escola Profissional do Fundão, a Associação Comercial e Industrial do Fundão e o Instituto de Emprego e Formação Profissional, bem como entidades formadoras da região.

*JO/Lusa

Esta entrada foi publicada em Destaques, Economia. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *