Juventude Socialista acusa primeiro-ministro de “descarada pré-campanha” em Castelo Branco

“ENORME FALTA DE VERGONHA” DIZEM

A Juventude Socialista (JS) de Castelo Branco manifestou “repúdio” pelo facto de o primeiro-ministro ter inaugurado as instalações da Escola Superior de Artes Aplicadas (ESART) e acusa Passos Coelho de fazer “uma descarada pré-campanha”.

Logo_Js_Vermelho_thumb_ajfw1h

Em comunicado conjunto divulgado hoje, o presidente da Federação Distrital da JS, Gonçalo Clemente Silva, e o coordenador da Concelhia de Castelo Branco da JS, Carlos de Camões, manifestam “completo repúdio e profundo desagrado com a inauguração da ESART por parte do primeiro-ministro”.

Os jovens socialistas consideram uma “enorme falta de vergonhado primeiro-ministro em vir (a Castelo Branco), aproveitando para fazer uma descarada pré-campanha para as eleições do próximo ano, inaugurar um equipamento público que por sua vontade não existia e que se recusou a financiar”.

O documento, sublinha ainda que após assumir a chefia do Governo, Pedro Passos Coelho “decidiu travar a construção deste equipamento público (ESART) fundamental para o Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB), a cidade e toda a região”.

Joaquim Morão

Joaquim Morão

“Foi a Câmara de Castelo Branco, pela mão do executivo socialista liderado por Joaquim Morão, a assumir, numa situação inédita em todo o país, o financiamento integral da componente nacional da construção das novas instalações de uma instituição de ensino superior”, lê-se no comunicado.

A JS adianta ainda que a visão do município assegurou, apesar dos “obstáculos levantados pelo Governo”, que Castelo Branco “não perdesse o acesso aos mais de três milhões de euros de financiamento comunitário que foram, assim, investidos na região”.

E, a concluir, os jovens socialistas referem que não esquecem, “que este é o Governo que mais tem atacado o interior”.

ESART

Por tudo isto, esperam que o chefe do Governo, de futuro, “tenha a mesma disponibilidade de vir ao distrito, anunciar os cortes e encerramentos que decide, tal como teve agora para colher os louros alheios”.

Recorde-se que Pedro Passos Coelho esteve em Castelo Branco, na passada terça-feira, 02 de dezembro, onde inaugurou o novo edifício da ESART, uma obra que teve um custo total de 3,8 milhões de euros, sendo que a Câmara de Castelo Branco assumiu a comparticipação nacional, no valor de 748 mil euros.

Esta entrada foi publicada em Destaques, Educação, Política. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *