“Seguristas” indicam 21 efetivos para a Comissão Política e 75 para a Comissão Nacional

CONGRESSO PARTIDO SOCIALISTA

Os apoiantes do anterior líder socialista, António José Seguro, deverão entregar à equipa de António Costa, no sábado, durante o congresso, uma lista para preencher 21 lugares efetivos na Comissão Política e 75 na Comissão Nacional.

Estes 21 nomes para a Comissão Política (o órgão de direção alargada) e 75 para a Comissão Nacional (o órgão máximo entre congressos) são resultado do acordo celebrado entre o novo secretário-geral do PS, António Costa, com a corrente “segurista”, representando 30 por cento do total de efetivos – uma percentagem equivalente ao peso dos votos que António José Seguro obteve nas eleições primárias de 28 de setembro.

alvaro_beleza

Álvaro Beleza

Os nomes dos apoiantes do anterior secretário-geral, disse à Lusa fonte deste grupo, serão entregues em listas por ordem alfabética.

Após uma conversa inicial com António Costa, logo dois dias após as eleições primárias, o dirigente cessante Álvaro Beleza negociou depois os detalhes para a existência de listas únicas para as comissões Nacional e Política com a diretora de campanha do novo líder, Ana Catarina Mendes, também presidente do PS/Setúbal e “vice” da direção do Grupo Parlamentar socialista.

Um processo que se prolongou por semanas, mas que as duas partes coincidiram em referir à agência Lusa que decorreu de forma “fácil” e “sem sobressaltos”.

Esse mesmo processo terá até decorrido de forma mais atribulada entre os próprios “seguristas”, sobretudo no que toca ao preenchimento da quota disponível de lugares em cada uma das federações.

António Costa

Desta forma, quase todos os principais nomes da anterior direção de António José Seguro deverão figurar na nova Comissão Política do PS, casos do cabeça de lista socialista às eleições europeias, Francisco Assis, do dirigente Álvaro Beleza, do anterior porta-voz para as questões financeiras, Eurico Brilhante Dias, do secretário nacional cessante para a Organização, Miguel Laranjeiro, do deputado João Soares e do ex-secretário-geral da UGT João Proença.

Entre outros nomes, deverão ser indicados para a Comissão Política o eurodeputado Carlos Zorrinho, e os secretários nacionais cessantes Jamila Madeira e Jorge Seguro.

José Luís Carneiro, presidente da Federação do Porto do PS, a maior do país, não constará nestas listas, já que tem lugar por inerência nestes órgãos dos socialistas.

Em aberto, está a inclusão ou não de nomes “seguristas” no Secretariado Nacional, cuja composição depende do secretário-geral, António Costa.

Certo está apenas que, através de uma alteração aos estatutos, António Costa pretende alargar de 11 para 15 o número de efetivos no Secretariado Nacional.

*Jornal de Oleiros/Lusa

Esta entrada foi publicada em Destaques, Política. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *