5º Festival de Vinhos e Licores valoriza os produtos locais

SÃO MIGUEL DE ACHA

O 5º Festival de Vinhos e Licores, em São Miguel de Acha, foi o destino de muitas pessoas, que aproveitaram o fim-de-semana de 15 e 16 de novembro para saborear os melhores néctares da região, desfrutar de um diversificado programa de animação e passear em família.

S. Miguel D' Acha

A acompanhar os vinhos e licores estiveram expositores dos mais diferentes produtos do concelho de Idanha-a-Nova e da região da Beira Baixa, terras de excelência. Queijos, azeites, bolos, enchidos, compotas, mel e pão foram outros sabores participantes neste esforço para “potenciar a valorização dos produtos tradicionais, a dinamização da economia local e a promoção deste território como destino turístico”, explicou o autarca idanhense, Armindo Jacinto.

O certame foi uma organização conjunta da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova e da Junta de Freguesia de São Miguel de Acha, onde foi dada continuidade à estratégia “de apoiar e divulgar os produtores locais em certames temáticos, motivando-os para que tenham sucesso na sua atividade”, afirmou Armindo Jacinto.

A produção de vinhos e de licores, em particular, é uma tradição de São Miguel de Acha que, nesta edição do festival, voltou a evidenciar exemplos de sucesso. Durante o fim-de-semana a aldeia foi palco do lançamento da marca de licores Acha Doce e do novo monocasta Touriga Nacional do Geo Vinho Súbito, dois projetos da freguesia que cresceram e ganharam sustentabilidade nos eventos promovidos pelo município.

Foto-Festival-AchaDoce

Para o presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, as duas empresas “demonstram que é possível ter sucesso quando os projetos são bons e que estes podem traduzir-se na criação de riqueza e emprego, por isso representam bem o que queremos para o futuro do nosso concelho”. Também a presidente de Junta de Freguesia de São Miguel D’Acha, Maria de Jesus Nogueira, “enalteceu a participação dos expositores daquela freguesia, reconhecendo o mérito dos produtores que apresentaram novas marcas e produtos”.

Um dos momentos mais concorridos foi o 5º Concurso de Vinhos e Licores, coordenado pela Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova. Saíram vencedores nos licores Barracada com Licor de Poejo (1º); Mário Magro com Licor de Rosas (2º) e Acha Doce com Licor de Bolota. Nos vinhos venceram Joaquim Pires (1º), Joaquim Gil (2º) e Emília Sousa (3º).

Também a maior sangria de licor de Portugal foi confecionada neste festival, com um recorde de 60 litros.

O 5º Festival de Vinhos e Licores contou com a participação de cerca de uma centena de expositores, oriundos na sua maioria dos municípios abrangidos pela Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa. Por este motivo, o Festival de Vinhos e Licores vai ao encontro das orientações do Provere Beira Baixa, Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos, permitindo assim conjugar a valorização do território e dos seus produtos, potenciando a qualidade, a singularidade e a diversidade.

Acha Doce nasce no Festival de Vinhos e Licores

A apresentação e degustação da marca de licores Acha Doce (anteriormente denominada Doce Pinga), na tarde de sábado, foi um dos momentos altos do 5º Festival de Vinhos e Licores.

Fabricados através de métodos artesanais em São Miguel de Acha, os licores conquistaram todos os que experimentaram os seus sabores clássicos ou inovadores, desde o chocolate a diferentes frutas e especiarias.

A história da produtora, Ana Paula Carvalho, é um exemplo de sucesso deste festival. Natural de Lisboa mas a residir em São Miguel de Acha há 14 anos, participou há três anos com os seus primeiros licores. “Começou por brincadeira, numa ocasião em que os pais decidiram vender alguns produtos para angariar dinheiro para a viagem de finalistas dos filhos, e a partir daí ganhei o gosto por fazer licores”.

A experiência foi um sucesso. Na altura funcionária pública, Ana Paula Carvalho pediu então a rescisão para se dedicar “de corpo e alma ao fabrico de licores”, que hoje adoçam inúmeras bocas nos festivais do concelho e da região. “A Acha Doce não existiria se não fossem os festivais promovidos pelo Municipio de Idanha-a-Nova, pois são eles que nos dão ânimo para crescer e a sustentabilidade necessária para continuarmos a investir”, explica a produtora. Hoje são mais de 30 os sabores comercializados, todos 100% naturais e vários com produtos da região.

Súbito lançou novo Touriga Nacional

De uma vinha implantada em São Miguel de Acha, em pleno território Geopark Naturtejo, nasceu o Geo Vinho Súbito que, no 5º Festival de Vinhos Licores, lançou o novo monocasta Touriga Nacional, um excelente tinto de cor granada com aromas a fruta vermelha e ligeiras notas florais.

Foto-Festival-Súbito

A nova variedade foi agora apresentada em Portugal, mas com o apoio da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova já fez sucesso em eventos internacionais realizados em Paris e Madrid, no mês passado. No lançamento na capital espanhola foi mesmo degustado e elogiado pela ministra da Agricultura, Assunção Cristas, durante uma das maiores feiras internacionais dedicadas ao sector hortofrutícola.

Produzido pela sociedade agrícola Viniregra, dirigida por Nuno Nunes, o Geo Vinho Súbito é um exemplo de que os projetos têm sucesso económico quando são bons e podem traduzir-se na criação de riqueza e de emprego.

No Festival, um outro vinho juntou-se à família Súbito: o Chardonnay/Síria Branco 2013 promete fazer as delícias dos apreciadores do “néctar dos deuses”.

Esta entrada foi publicada em Destaques, Economia, Idanha-a-Nova. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *