António Costa chega a Secretário-Geral do PS em dia de “tragédia”

António Costa nunca esperou a coincidência de datas.

Nem esta era prevista sequer pelas autoridades.

A detenção de Sócrates estava programada para 5ª feira, ainda antes da votação de delegados ao Congresso.

António Costa

António Costa

Mas, Sócrates, foi alterando o regresso e só mesmo à terceira, voltou, já de noite e, num lugar popular, barato, não executivo.

Certamente…ou não, pode ter sido apenas o destino, foi então detido e deu-se a coincidência terrível que deixou António Costa desconfortável e, longe da maioria absoluta, talvez até da vitória nas próximas eleições.

Por isso nem surpreende o “acordo feito” com Pedro Passos Coelho para as vergonhosas subvenções.

No PS, a resignação vai-se instalando. De facto a sociedade está cansada e Sócrates criou dificuldades continuadas, repetidas.

Por outro lado, os factos que vão sendo conhecidos vão parecendo razoáveis.

As “histórias” ajustam-se à personalidade e, as pessoas vão baixando os braços e, aceitam já que a Justiça é igual para todos…ou não?

António Costa esteve bem ao falar ao Partido.

O Partido é uma coisa, os amigos e sentimentos outra.

Vai agora para um Congresso em que terá de ajustar nomes caso deseje ter algum protagonismo no futuro.

Semana dura e crucial para António Costa.

PF

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Justiça, Política com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *