EDITORIAL: Em defesa da verdade…do Homem também (Actualizado)

ÚLTIMA HORA

Miguel Macedo apresentou a demissão eram 19H30.

Mostra estatura política e o governo perde um dos dois bons ministros que possuia.

PF

EDITORIAL

Não somos especialistas em defesa do sensacionalismo.

Verdade que reafirmamos e com quem convivemos bem, vimos nesta hora deixar claro o que pensamos de Miguel Macedo, um Amigo da região. Miguel Macedo

Miguel Macedo, é verdade, pode não ter os melhores ou mais recomendáveis “amigos“, mas, seguramente, não pode ser “condenado numa fogueira que nada poupa“.

Faz bem em estar em silêncio. Os que o atacam nessa vertente, não entendem…ou entendem…que o seu ruído só perturbaria o apuramento da verdade.

Pessoalmente, no exercício da minha actividade, conheço o que pensa da nossa região, o que sente por ela, quanto tem lutado por ela.

Um terramoto potencial

O caso BES e a Comissão Parlamentar agora a iniciar funções são motivos de forte preocupação. Tememos mesmo que a enorme quantidade de comissões, inquéritos, processos se perturbem entre si e impeçam o apuramento das responsabilidades totais – – imensas.

Não faz sentido ouvir mais de 100 pessoas e, os prevaricadores em último lugar, criando a confusão generalizada e alvos falsos.

O que foi feito a Portugal é demasiado grave para haver tolerância e, note-se, do muito mal feito, apenas parcialmente se conhece e, menos ainda, as consequências para a economia, para o futuro.

Uma Comunidade – Oásis

É possível ter ideias diferentes e, mesmo assim, conviver, produzir, lutar pelo futuro.

Veja-se a CIMBB, Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa, Partidos diferentes, Homens de formação e origem diferente, aí estão, a dar cartas, apesar de meios exíguos.

PF

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Editorial, Opinião com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *