Guarda espera juntar 500 participantes no I Fórum das Beiras e Serra da Estrela

“AFIRMAR A REGIÃO E A SUA IMPORTÂNCIA PARA A COMPETITIVIDADE DO PAÍS”

Cerca de 500 participantes são esperados no I Fórum Empresarial Beiras e Serra da Estrela, a realizar na Guarda, no dia 14, por iniciativa do Conselho Empresarial das Beiras e Serra da Estrela (CEBSE), foi hoje anunciado.

Segundo o CEBSE, que hoje apresentou o programa do evento em conferência de imprensa, nos trabalhos, a realizar no grande auditório do Teatro Municipal da Guarda, são esperados representantes de empresas, associações empresariais, autarquias, instituições de ensino, associações de desenvolvimento, de sindicatos, entre outros.

Rogério Hilário

Rogério Hilário

A iniciativa tem como objetivo criar um espaço de reflexão sobre o papel da região, debater os desafios futuros e “afirmar a região e a sua importância para a competitividade do país”, referiu Rogério Hilário, presidente daquele órgão.

“Esta região é, e poderá ser, um novo litoral de Portugal”, disse Rogério Hilário, referindo-se à sua posição geográfica e à proximidade com Espanha.

Na conferência de imprensa realizada nas instalações da associação empresarial NERGA, na Guarda, disse ainda que os empresários merecem “apoio e mais dinâmica” por parte do Governo e do poder local, por reconhecer que são as empresas que criam emprego e fazem “a ancoração da população residente”.

NERGA

NERGA

Assumiu que a região das Beiras e da Serra da Estrela tem potencialidades, mas é necessário ajudar as empresas a reduzir custos com instalações, infraestruturas, licenciamentos e com “alguma discriminação positiva em termos fiscais”.

Deu o exemplo das portagens nas autoestradas que servem a região (A23 – Guarda/Torres Novas e A25 – Aveiro/Vilar Formoso), que representam custos “que podem ser reduzidos”.

Pedro Tavares, presidente do NERGA, também presente no encontro com os jornalistas, alertou que na região também falta mobilidade para que um residente na Guarda, por exemplo, possa ir trabalhar diariamente para a Covilhã “com custos reduzidos”.

“Na região falta uma rede de mobilidade que é fundamental para as pessoas, uma rede de transportes concertada”, acrescentou Rogério Hilário.

O responsável alertou que o território também carece de uma rede de cooperação ao nível da própria complementaridade regional, para “potenciar muito mais a economia da região”.

“Encontrámos empresas a importar e a exportar, que estão a comprar fora quando podiam comprar na região”, disse, apontando a necessidade de ser feito “um levantamento da própria economia regional”.

Empresários

O I Fórum Empresarial Beiras e Serra da Estrela será realizado na Guarda, mas a organização anuncia a intenção de o promover anualmente, de forma rotativa, pelo território que abrange.

Durante os trabalhos serão abordados os temas “Beiras e Serra da Estrela – uma região policêntrica com futuro”, “A criação de valor para o desenvolvimento da região”, “A inovação e a investigação como fator de competitividade”, e “O artesanato/produtos locais e o seu contributo para o desenvolvimento do território”, entre outros.

*Jornal de Oleiros/Lusa

Esta entrada foi publicada em Destaques, Economia. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *