Câmara de Penamacor aprova orçamento de 11,9 milhões de euros

APROVADO COM AS ABSTENÇÕES DOS DOIS VEREADORES DA OPOSIÇÃO

A Câmara Municipal de Penamacor aprovou hoje por maioria o orçamento para 2015, no valor global de 11,949 milhões de euros, mas assume a possibilidade de ter de recorrer a um saneamento financeiro “a curto prazo”.

“Está em estudo, mas provavelmente teremos mesmo que optar por um programa de reestruturação da dívida no que concerne à componente da água e saneamento, a qual tem já refletido em orçamento um valor global superior aos três milhões de euros de despesa acumulada”, explicou o presidente da autarquia, António Luís Beites (PS), em declarações à agência Lusa.

-beites

António Luís Beites

O autarca, que admitiu que “se não fosse esta situação” o orçamento apresentado seria “naturalmente inferior”, prometeu ainda que “até final do ano” apresentará um “estudo global sobre toda a situação financeira do município e respetiva reestruturação”.

António Luís Beites referiu também que as Grandes Opções do Plano para 2015 “respeitam as linhas orientadoras traçadas para o médio e longo prazo para Penamacor”, pelo que está previsto o investimento para a elaboração do plano de pormenor e expansão da zona industrial, no valor de cerca de 1,5 milhões de euros.

Com “valor idêntico” surge a componente da requalificação do património, que terá especial incidência na zona histórica da vila e à qual se junta o projeto de requalificação urbana, no valor global de cerca de um milhão de euros, que prevê substituição e recuperação das redes de água e saneamento, de modo a “diminuir os custos e gastos associados à rede”, referiu.

De acordo com a informação do presidente do município, o “reforço da aposta” nas áreas da educação, proteção civil e ação social também está previsto.

O orçamento foi aprovado com as abstenções dos dois vereadores da oposição, eleitos pela coligação “Juntos Por Penamacor”, que criticaram a demora na realização do diagnóstico às contas do município e a falta de estratégia da maioria.

“Não é aceitável que passado um ano continuemos num mar de incertezas”, afirmou Vítor Gabriel.

*Com Lusa

Esta entrada foi publicada em Penamacor. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *