Eólica do Pinhal Interior evita emissão de 194 mil toneladas de CO2 por ano

INVESTIMENTO SUPERIOR A 150 MILHÕES DE EUROS

O Parque Eólico do Pinhal Interior evita anualmente a importação de 110 mil toneladas de fuel e uma emissão de 194 mil toneladas de CO2, foi hoje anunciado.

“A produção anual de 336 Gwh [gigawatt-hora] de eletricidade limpa do Parque Eólico do Pinhal Interior terá benefícios ambientais na redução de importação de fuel (110 mil toneladas/ano) e na redução de emissão de CO2 (194 mil toneladas/ano)”, anunciou hoje a Generg durante a visita de um grupo de 40 engenheiros da Ordem dos Engenheiros da Região Sul (OERS).

João Bártolo

João Bártolo

Estes dados foram apresentados durante a visita ao Parque Eólico do Pinhal Interior, que contou com a presença do presidente do Conselho Diretivo da OERS, Carlos Aires, e do presidente da Generg SGPS, João Bártolo.

O projeto, que arrancou em setembro de 2004, implicou um investimento de 154 milhões de euros e iniciou a produção de energia eólica em dezembro de 2005. Contudo, só ficou totalmente concluído em junho de 2007.

Com uma potência instalada de 146 megawatts (MW), as 64 turbinas eólicas produzem 336 gigawatts/hora (Gwh) por ano, o equivalente ao consumo doméstico de 155 mil habitantes.

O Parque Eólico do Pinhal Interior, que abrange os concelhos de Proença-a-Nova, Oleiros, Sertã e Vila Velha de Ródão, tem ainda um importante papel na economia local.

A título de contrapartidas locais, a Generg distribui anualmente pelas autarquias, um valor próximo dos 725 mil euros.

generg_novo-logotipo_256

A este montante pago às câmaras municipais é acrescido ainda um pagamento de contrapartidas pelas juntas de freguesia para a concretização de obras de interesse social estimado em 1,8 milhões de euros.

A empresa paga ainda rendas anuais aos cerca de 400 proprietários rurais dos terrenos onde está implantado o projeto, no valor de 300 mil euros.

Em 2013, o investimento total da Generg situou-se nos 901 milhões de euros e o volume de negócios da empresa atingiu os 172,5 milhões de euros, sendo que tinha ainda projetos em desenvolvimento no valor de 124,9 milhões de euros.

*Com Lusa

Esta entrada foi publicada em Destaques, Oleiros, Proença-a-Nova. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *