INQUIETUDE: ” Dos fracos não reza a história”

Força aérea

“Dos fracos não reza a história”

É com alguma preocupação que tenho lido as notícias acerca de “incidentes” provocados por manobras militares dos russos.

Depois de, na passada semana, no norte da Europa ter sido detetado um submarino militar russo, nas águas territoriais, sem autorização do respetivo país onde o mesmo se encontrava, a Suécia, o qual causou um verdadeiro reboliço quer na opinião pública, quer nas forças armadas do país nórdico, foi esta semana a vez de aviões russos, bombardeiros e aviões de abastecimento sobrevoarem espaço aéreo de países da NATO, provocando um autêntico alvoroço.

A Força Aérea portuguesa fez o seu papel e em função das diretrizes emanadas do comando da NATO escoltou os referidos aviões “invasores” para fora dessa área exclusiva.

Estes dois casos isolados ou analisados em conjunto são, e aqui refiro que não sou especialista em questões militares, preocupantes. Não que eles signifiquem por si só algum perigo militar efetivo e imediato, mas porque depois dos comportamentos dos russos, nos Balcãs, nomeadamente em parte do território da Ucrânia, que ocuparam à força, sem que a União Europeia ou os próprios Estados Unidos da América, dissessem claramente aos dirigentes políticos russos que não admitiam este tipo de comportamento e levando até às últimas consequências esses avisos são preocupante estes dois episódios pois são a prova provada que os russos sentem que, do lado de cá, as tomadas de posição são ténues, frágeis e inconsequentes.

Como diz o militar de Abril Carlos Matos Gomes, em comentário a um post colocado por mim na minha página do Facebook, “Para a Rússia a Europa deixou de ser um grande ator internacional, como não era no tempo da guerra fria e veio dizê-lo com os seus velhos aviões desses tempos. Uma humilhação com luva branca”.

Não posso estar mais de acordo. A questão é mesmo essa ou como diz o velho ditado “dos fracos não reza a história”!

* INQUIETUDE, Coluna do Director-Adjunto José Lagiosa, todas as 5ªs feiras.

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Forças Armadas. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *