João Barros brilhou na Super Especial do Rali de Castelo Branco

GRANDE ANIMAÇÃO NAS RUAS DA CIDADE COM MILHARES DE ESPECTADORES

Rali Teve lugar, ao início da noite o Rali de Castelo Branco cujo arranque oficial se deu com a disputa da Super Especial desenhada no centro da cidade capital da Beira Baixa e à qual acorreram vários milhares de espectadores. A prova, com 1,86 quilómetros cronometrados, foi, assim, um aperitivo para o que as equipas têm amanhã pela frente, numa rali que se adivinha disputado do primeiro ao último quilómetro.

João Barros

João Barros/Jorge Henriques np Ford Fiesta R5

Em termos de classificação, a prova de hoje foi ganha – ainda que por escassa margem – pela dupla, João Barros/Jorge Henriques (Ford Fiesta R5), dupla que assume a vontade de vencer a prova albicastrense. O piloto nortenho afirmava no final deste primeiro dia que “a Super especial correu muito bem, apesar de ter arrancado um pouco receoso, por causa da temperatura dos pneus. Amanhã sei que vou ter um dia duro, e antevejo uma luta interessante com o José Pedro Fontes. Espero que corra melhor a mim…”

Quem também rubricou uma exibição notável foi Carlos Martins, que levou o Mitsubishi ao segundo lugar do pódio, e com um atraso de apenas três décimas para o vencedor. Visivelmente satisfeito, o piloto afirmava que “parte do sucesso hoje deve-se a utilização de uns pneus específicos da Dunlop. De resto, não cometi erros, andei com confiança e acabei por surpreender-me a mim próprio…”

Uma das duas equipas femininas participantes

Uma das duas equipas femininas participantes

As bombas...

As bombas…

O terceiro mais rápido foi Pedro Meireles que, era sabido, cumpriu a primeira etapa e dá por terminado o seu rali, já que não conseguiu apoios financeiros para o fazer integralmente. Assim limitou-se a conquistar 5 pontos para poder vencer a categoria RC2. De qualquer modo o piloto de Braga afirmou, ter “dado o meu melhor em respeito pelo público e pelo clube organizador. O meu rali acaba aqui!”

Natural candidato à vitória final José Pedro Fontes não conseguiu melhor que o quinto tempo, tendo considerado que o seu Porsche não é melhor carro para um percurso tão sinuoso como o de hoje. A outra estrela do pelotão, Rui Madeira afirmou querer não mais do que fazer quilómetros e trazer o DS3 sem mazelas de regresso a Castelo Branco.

Daniel Nunes/Rui Raimundo não foram felizes

Daniel Nunes/Rui Raimundo não foram felizes

Dos incidentes mais relevantes que hoje tiveram lugar na Super Especial, merecem destaque os que “vitimaram” Ricardo Teodósio, problema de caixa de velocidades do Lancer Evo IX, e Daniel Nunes, com uma crise elétrica no Peugeot 208 R2.

Manuel Rolo, antigo campeão nacional de ralis

Manuel Rolo, antigo campeão nacional de ralis

No Campeonato Regional de Ralis do Centro, e com a disputa pelo título ao rubro, Carlos Fernandes/Valter Cardoso levaram a melhor aos comandos do Mitsubishi Lancer Evo Vi. No final o piloto esclarecia que “tive algumas dificuldades e o 1º gancho foi a primeira delas… Amanhã vai ser um dia bastante duro, nomeadamente por causa da extensão dos troços, mas vou dar o meu melhor”. Igualmente envolvido na luta pelo título regional, Eduardo Veiga levou o Escort MK II ao segundo lugar na Super Especial, esclarecendo que “hoje tentámos dar um espetáculo interessante ao muito público aqui presente. Amanhã é que conta e sei que não vai ser fácil…” Na terceira posição no Regional ficou a dupla André Cabeças/Júlio Sousa (Mitsubishi Evo V).

Esta entrada foi publicada em Desporto, Destaques. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *