Ricardo Marinheiro é o “Torpedo da Glória”

VITÓRIA E NOVO RECORDE NA RAMPA LISBOETA

Pelo segundo ano consecutivo, o especialista do BTT, Ricardo Marinheiro, venceu a “Subida à Glória”, uma prova de ciclismo nascida em 1910 e que consiste em subir os 265 metros da Calçada da Glória que ligam a Baixa de Lisboa (Praça dos Restauradores) ao Bairro Alto (Jardim de São Pedro de Alcântara), em pleno coração alfacinha com um declive de 17%. A chuva que caiu este sábado, 11 de outubro, não impediu Marinheiro de estabelecer um novo recorde da escalada que está agora em 36,68 segundos.

Ricardo Marinheiro

Ricardo Marinheiro

É caso para dizer que Ricardo Marinheiro sucedeu a Ricardo Marinheiro, uma vez que no ano passado tinha obtido a marca de 39,77 segundos. O jovem natural de Mafra além de vencer a prova de contrarrelógio, onde foram apurados os quatro melhores tempos masculinos e femininos, ganhou igualmente as semifinais e a finalíssima discutida com Pedro Preto do Clube Ciclismo Bairrada. Muito satisfeito com o triunfo, Marinheiro lamentou no entanto a queda do adversário quando ambos discutiam a subida final, mas já pensa no próximo ano: “sei que é muito difícil continuar a baixar o meu tempo, mas sempre que tenha possibilidades de fazer a Subida à Glória vou tentar melhorar a minha marca!” Atrás de Pedro Preto classificou-se, nada mais, nada menos, que o campeão do mundo de pista em perseguição individual na categoria de juniores, Ivo Oliveira, e Rafael Reis, quarto classificado no contrarrelógio sub-23 dos Mundiais de Ciclismo de Estrada.

Entre as mulheres, num universo de apenas oito participantes em competição, a vitória foi de Vanessa Fernandes do Clube Associação 20 Kms de Almeirim à frente de Ilda Pereira, Daniela Reis e da espanhola Maria Jesus Fernandez.

Ricardo Marinheiro e Vanessa Fernandes

Ricardo Marinheiro e Vanessa Fernandes no pódio

Antes, na primeira subida em contrarrelógio, a campeã nacional de maratonas BTT gastou 1 minuto e 1 segundo sendo esta a nova melhor marca feminina da Subida à Glória retirando 5 segundos ao tempo de 2013 de Ana Azenha, que este ano não esteve presente para defender o recorde.

Apesar da chuva que caiu durante a prova mais de 130 participantes escalaram a íngreme e famosa calçada lisboeta.

Aos amantes das duas rodas juntou-se uma parada de estrelas do ciclismo português como Tiago Machado, Sérgio

Paulinho e Rui Sousa e ainda glórias de outros tempos como o diretor da Volta a Portugal, Joaquim Gomes, o atual selecionar nacional José Poeira, Paulo Ferreira, que este ano comemora 30 anos sobre a estreia e vitória de etapa no Tour de France, e ainda Carlos Santos, Leonel Miranda e Firmino Bernardino.

A “Subida à Glória” nascida como prova desportiva em 1910 foi recuperada no ano passado pela Federação Portuguesa de Ciclismo, depois de muitos anos sem se realizar. O objetivo é pedalar rampa acima os 265 metros da Calçada da Glória onde sobe e desce o famoso ascensor que liga a Baixa ao Bairro Alto com um declive médio de 17%.

Esta entrada foi publicada em Desporto, Destaques. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *