Politécnico de Castelo Branco e Universidade Aberta assinam protocolo

FERRAMENTA PARA A CAPTAÇÃO DE ALUNOS

O Instituto Politécnico de Castelo Branco assinou, no dia 3 de Outubro, um Protocolo de Cooperação com a Universidade Aberta, uma iniciativa única entre todos os Institutos Politécnicos portugueses e, pioneira no interior do país. O acordo visa o estreitamento das relações de cooperação e intercâmbio entre as instituições, nomeadamente na área do ensino a distância, do regime repartido de ensino, ou seja b-learning, e aprendizagem ao longo da vida (ALV).

DSC_0044

Durante a cerimónia, Carlos Maia, Presidente do IPCB, destacou a importância do momento para a instituição, que na atual conjuntura poderá constituir mais uma ferramenta para captação de alunos e novos públicos. Salientou, ainda, que a aposta no ensino a distância passa, pela diversificação das potencialidades e reforço da internacionalização do IPCB. O Presidente do IPCB acrescentou, ainda, que esta é uma “pretensão antiga” do Politécnico de Castelo Branco, que foi agora formalizada e colocada no terreno em parceria com a Uab.

As instituições irão avançar para já com a formação dos professores e, gradualmente, “avançar-se-á para outras ofertas formativas, sempre em parceria com a Uab”. O IPCB inicia, no ensino a distância, três pós- graduações – “Produção Agrícola”, “Gestão de Negócios”, e, “Reabilitação Sustentável de Edifícios”, que, de acordo com Carlos Maia, são consideradas as de maior aceitação nesta fase.

Carlos Maia e Paulo Silva Dias

Carlos Maia e Paulo Silva Dias

O Reitor da Universidade Aberta (UAb), Paulo Maria Bastos da Silva Dias considerou, na sua intervenção, que este é um “momento histórico e fundamental na forma de colaboração entre as instituições de ensino superior portuguesas”. Referiu ainda que este tipo de iniciativa irá “mudar a essência do processo de construção das práticas de ensino e de transmissão do conhecimento ”. Paulo da Silva Dias salientou também o importante trabalho de mudança de práticas e culturas, nomeadamente na aprendizagem de novas tecnologias aplicadas às práticas pedagógicas e evolução do conceito de “aula” para um espaço aberto 24 horas por dia em vez das tradicionais “2 horas”. Reconhecendo possíveis dificuldades e, “desencantos pelo abandono do espaço de conforto”, o Reitor da UAb, terminou, deixando uma mensagem de grande otimismo na parceria agora iniciada, que redefinirá os limites geográficos das instituições, afirmando-as globalmente.

Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Destaques. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *