INQUIETUDE – Início

Inquietude

Início

Tudo começou, afinal, antes de Abril.

Portugal e os portugueses viviam tempos muito difíceis, economicamente mas sobretudo politicamente. Marcelo Caetano e a sua tão badalada primavera marcelista, eram esperança já esfumada e eu começava a dar os primeiros passos na política pela mão de um dos meus heróis da adolescência, o Padre Max. Era professor no Liceu Padre António Vieira, e também dava umas missas na Igreja de S. João de Brito, em Alvalade. Eu tinha acionado a opção de não ter aulas de religião e moral, mas algumas semanas após o início do ano letivo acabei por ir não àquelas aulas chatas habituais, à época, mas a aulas interessantíssimas onde se falava de tudo mas sobretudo de política, onde se respirava liberdade. O Padre Max marcou-me e foi, seguramente, o culpado do caminho que acabei por definir e seguir após a Revolução do 25 de Abril de 1974.

Padre Max

Padre Max

Acabei o curso complementar dos liceus e após ter sido vítima do Numerus clausus, instituído, nessa época, no acesso ao ensino superior, o que inviabilizou a entrada em Medicina, por uns escassos sessenta e três décimos na média, acabei por ir parar a Farmácia.

Mas o bichinho já cá andava e para além de ter sido cofundador da seção de Moscavide do Partido Socialista, em outubro de 74, entre outros com o João Franco, o João Damas, o Daniel Lima, e o velho Gaspar, estivador dos sete costados a quem, aliás, perdi o rasto. Meses mais tarde eu e o João Franco havíamos de fazer parte do núcleo dos quarenta fundadores da Juventude Socialista nacional, para além de seus funcionários, sob a liderança do Alberto Arons de Carvalho, primeiro Secretário-Geral da JS.

É neste espírito revivalista que ocuparei este espaço de escrita, nas semanas mais próximas. Numa época em que a política se faz quase sempre com objetivos e interesses definidos, pensei ser minha obrigação ir deixando, para memória futura, as minhas experiências de fazer política quando isso era feito basicamente por amor à camisola, sem segundas intenções ou interesses.

Talvez por isso a política e os políticos, à data, fossem mais respeitados pelos portugueses

* Inquietude, Coluna semanal do Director – Adjunto, José Lagiosa, às 5ªs feiras

Liceu Padre António Vieira

Liceu Padre António Vieira

 

 

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Destaques com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *