Uma festa do Caneco animou Belmonte

DURANTE TODO O FIM-DE-SEMANA

Festival do Caneco

Foi do Caneco. Um dos mais ricos e diversificados cartazes culturais da região agitou Belmonte no passado fim-de-semana. Foi o primeiro festival de Cerveja Artesanal e Arte Urbana. Apesar de no sábado a tempestade de granizo ter obrigado a feira a deslocar-se para um pavilhão, os produtores cervejeiros venderam muitos barris de cerveja artesanal e os palcos estiveram animados com música e dança. Um fim-de-semana que atraiu milhares de jovens à procura do Caneco D’Ouro – tendo em conta o spot de promoção da feira, um vídeo viral com um remake de Indiana Jones em Belmonte.

Dias Rocha

Dias Rocha

O presidente da Câmara Municipal de Belmonte considerou que esta foi uma aposta ganha, ainda que o “tempo tenha afastado pessoas”. Mas para António Rocha, “a qualidade do programa mostrou uma terra que aposta nos valores culturais emergentes, atenta à população mais jovem, e capaz de inovar em termos de cartazes regionais”. Assegurou assim a continuação da iniciativa para os próximos anos.

O programa já tinha arrancado com as exposições de Alexandre Gaudêncio, Zita Pinto e o conhecido Ruy Silva, assim como com o projeto “Enquadrilhar”, estruturas que visam dar um ponto de mira diferente sobre espaços de Belmonte.

Animação de rua

Na sexta-feira foi possível abrir o Castelo de Belmonte aos sons da Orquestra de Sopros da EPABI, dirigida pelo maestro, Luís Vieira.

Cerveja Vadia

Depois veio a moda. Prestige Collection apresentou a sua coleção de t-shirts com fotos do património construído de Belmonte. O estilita Luís Costa Nogueira apresentou a sua coleção 2014-15 em burel. Alexandre Gaudêncio apresentou a sua paleta colorida de Papillons. A premiada estilista, Mónica Gonçalves, apresentou a sua marca Grigi com detalhes em fio de cortiça. A noite acabou com a música de Flávio Torres e os Canalhas para animar a plateia do castelo. Fora das muralhas ouviram-se as adufeiras de Idanha e o grupo de Bombos do Barco, Covilhã.

A manhã de sábado começou com o “atelier 26” que iniciou a sua intervenção de arte urbana pintando portas de um edifício central da vila. Depois vieram “Toca a Bombar”, os bombos de Cantargalo, e a chuva…

João Afonso

João Afonso

A feira foi desmontada e remontada no pavilhão multiusos de Belmonte e teve uma noite em grande com o cantor João Afonso, que apresentou o seu último álbum e muitas das músicas que marcaram a sua carreira e a de seu tio, Zeca Afonso. Noite dentro a musica ritmada dos conhecidos DJ’s da noite lisboeta, Mike Stellar, Ramboiage, Mr. Herbert Quain. Dança até às quatro da manhã. Nesse dia, o premiado escritor, Afonso Cruz, ainda apresentou o seu livro “Jesus Cristo Bebia Cerveja”.

A animação de rua anunciou um Domingo de festa. Durante a tarde houve espaço para as Danças Europeias que para além dos bailarinos envolveram os presentes num espaço de animação. O Kayser Ballet sob a direção artística de Ricardo Runa,

Caneco'15 (1)

brindou os presentes com um espetáculo de dança contemporânea surpreendente e pouco usual no interior do país. Uma aposta de risco que resultou e ganhou a atenção dos presentes. Os “Lavoisier”, uma dupla jovem, que vem ganhando espaço no panorama musical português, apresentou o seu mais recente trabalho – um som inovador que surpreendeu e encantou quem esteve presente. Um fim de festa em grande! Uma dupla jovem, que vem ganhando espaço no panorama musical português, apresentou o seu mais recente trabalho – um som inovador que surpreendeu e encantou quem esteve presente.

Apesar do tempo, um fim de festa em grande – foi mesmo do Caneco!

Esta entrada foi publicada em Destaques. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *