PSD considera “deprimente” atitude das freguesias de Castelo Branco sobre IMI

“NÃO PENSAM EM CONSONÂNCIA COM O VOTO [CONTRA] QUE DERAM”.

O vereador do PSD na Câmara de Castelo Branco Paulo Moradias considerou hoje “deprimente” a atitude dos 18 presidentes de juntas de freguesia, que votaram contra a isenção de IMI nas suas freguesias.

“Em relação à questão do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), eu quero dizer que é deprimente ver 18 presidentes de junta de freguesia ficarem de braço para baixo no momento da votação”, disse hoje o vereador social-democrata no final da Assembleia Municipal de Castelo Branco.

Numa conferência de imprensa improvisada, à saída da Assembleia Municipal, Paulo Moradias não poupou críticas a 18 dos 19 presidentes de junta de freguesia do concelho, que votaram contra uma moção apresentada pela bancada do PSD que propunha a isenção do pagamento da taxa do IMI em todas as freguesias rurais do concelho.

Apenas o presidente da junta de freguesia de Tinalhas (PSD) votou favoravelmente a moção, sendo que os restantes 18 autarcas, todos do PS, optaram por votar contra a isenção do IMI.

Paulo Moradias sublinhou que estes autarcas “passam o ano inteiro a lamentar-se com as dificuldades, de que não há medidas de apoio à fixação de população, à reabilitação de imóveis e à criação de atividade económica”.

“Nós, no PSD, temos tido o cuidado de percorrer todas as assembleias de freguesia e ouvimos constantemente o lamento”, disse.

Paulo Moradias

Paulo Moradias

cm castelo branco

O vereador do PSD adiantou ainda que é importante que as populações destas freguesias “tenham conhecimento de que os seus representantes, hoje, permitiram uma medida que poderia reduzir o esforço dos impostos que os cidadãos das freguesias pagam e contribuíram para que, pelo menos em 2015, isso não venha a acontecer”.

“Essa responsabilidade, hoje, é deles”, referiu.

Questionado sobre esta posição dos autarcas, Paulo Moradias disse ter a certeza que os 18 presidentes de junta de freguesia, “não pensam em consonância com o voto [contra] que deram”.

O vereador social-democrata acrescentou que alguns desses autarcas (sem os querer identificar) disseram [ao PSD] que a isenção do pagamento da taxa de IMI era “uma medida extraordinária”.

“Se eu lhe disser que alguns presidentes de junta de freguesia nos dizem, particularmente, que são fortes adeptos desta medida e chegam ali e têm esta atuação, eu só posso ver isto como receio de algum tipo de represálias da parte do atual executivo socialista desta câmara”, concluiu.

 *Com Lusa

Esta entrada foi publicada em Destaques, Política. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *