Aumento de IMI na Covilhã aplicado no apoio à proteção civil municipal

APROVADO POR MAIORIA

A Assembleia Municipal da Covilhã aprovou hoje, por maioria, o aumento, em uma centésima, da taxa do Imposto Municipal de Imóveis (IMI) a cobrar aos prédios urbanos, acréscimo que reverterá para a proteção civil municipal.

fachada-assembleia2

A proposta, que fixa a taxa em 0,35%, foi aprovada por unanimidade na Câmara Municipal e, de acordo com informação prestada pelo presidente do município, representará uma verba de cerca de 150 mil euros.

Vítor Pereira (PS) esclareceu ainda que metade desse valor (cerca de 75 mil euros) será diretamente entregue aos Bombeiros Voluntários da Covilhã.

“Em vez de criarmos uma taxa, que seria de difícil cobrança, optámos por esta medida. Assim, cerca de 75 mil euros serão entregues diretamente aos bombeiros e o restante será aplicado na compra de máquinas que serão usadas para a limpeza de caminhos e passeios”, explicou o autarca.

Vítor Pereira, presidente da Câmara Municipal da Covilhã

Vítor Pereira Foto de arquivo

Em comunicado emitido hoje, a autarquia também referia que “com esta decisão sai reforçada toda a estratégia de proteção municipal aos habitantes do concelho, bem como o apoio ao trabalho desenvolvido pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Covilhã”.

O regulamento prevê a isenção do pagamento de taxas e licenças para os proprietários dos edifícios do centro histórico e das freguesias rurais, que optem por realizar obras.

Os quatro eleitos da CDU não votaram a favor da proposta por terem apresentado, em alternativa, outra proposta, que foi rejeitada.

*Jornal de Oleiros/Lusa

 

 

Esta entrada foi publicada em Covilhã, Destaques, Economia, Política. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *