Vermelha – Uma pérola no Oeste

 

 

Vermelha

Vermelha

Esta Freguesia no Concelho do Cadaval, ainda persiste aos tempos de crise que o nosso país atravessa; as festas locais que tiveram lugar no passado fim de semana, não têm o esplendor e imponência de outros tempos, tendo que ser ajustadas à economia atual da região depois do grande “abanão” que toda a atividade produtiva levou, e que está longe de se perspetivar um fim à vista.

As construtoras foram as mais penalizadas, em que muitas no momento têm a atividade muito limitada enquanto outras “abriram falência” sendo este o setor onde o desemprego se sente com mais intensidade.

A produção do vinho e pera rocha, são em grande parte a subsistência das populações locais, que enfrentam uma crise severa e prolongada.

Existe uma certa nostalgia dos tempos passados, em que a palavra desemprego não era conhecida por estas bandas.

Uma nota positiva, é o facto da população jovem não ter sido muito penalizada; porque não se tem verificado uma quebra acentuada nos nascimentos; são muitas as crianças que frequentam as duas escolas da Vermelha Pré e Primária.

A entreajuda familiar é uma marcante tradição na Freguesia; em que as avós desempenham um papel fundamental e preponderante na assistência familiar.

A Fé e esperança num futuro mais promissor marcaram sempre esta Terra, como demonstram as idas em grupos numerosos todos os anos em romarias ao Santuário de Fátima.

A Vermelha é um exemplo de luta e confiança no futuro; as muitas crianças que diariamente alegram esta bela Terra, assim o exigem. 

* Joaquim Vitorino

Colunista do Jornal de Oleiros, Sub-Director do Jornal de Vila de Rei, e Director-Adjunto do Jornal Povo de Portugal 

Vermelha, pôr do sol

Rocha Peer

Rocha Peer

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Economia. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *