770 desempregados sinalizados pelo IEFP vão receber formação através da AEP

COVILHÃ INCLUÍDA NESTA AÇÃO

Perto de 800 de desempregados sinalizados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) vão receber formação através dos canais da Associação Empresarial de Portugal (AEP) foi hoje anunciado por ambas as instituições com a assinatura de um protocolo.

IEFP

Este projeto tem a duração de um ano e enquadra-se na iniciativa governamental Vida Ativa – Emprego Qualificado, sendo que tanto a AEP, como o IEFP admitiram hoje ter expectativa de que esta parceria resulte em criação de emprego.

“Sabemos, e a experiência diz-nos isso, que isto é uma porta de entrada no mundo empresarial e as empresas ao reconhecerem competências a estas pessoas terão interesse em continuar a contar com a sua contribuição”, disse o presidente da AEP, Paulo Nunes de Almeida.

“É no final de cada uma das ações que conseguimos medir o respetivo sucesso e o sucesso mede-se pela circunstância destas novas qualificações darem lugar à criação de postos de trabalho. O movimento que crie emprego é muito importante. A qualidade da formação mede-se essencialmente por um indicador: a empregabilidade”, acrescentou o presidente do IEFP, Jorge Barbosa Gaspar.

Jorge Gaspar

Jorge Gaspar

Ambos falavam aos jornalistas à margem da cerimónia de assinatura de contrato entre as instituições, com o responsável da AEP a adiantar que esta associação se comprometerá a identificar junto dos seus associados empresas que venham a admitir estes formandos através de um estágio que poderá culminar na integração em mercado de trabalho.

O protocolo hoje assinado visa a operacionalização de “um projeto de formação e de melhoria das capacidades de empregabilidade de 770 cidadãos desempregados das regiões Norte e Centro”, conforme se lê na informação disponibilizada pela AEP.

As ações de formação privilegiam matérias técnicas, nomeadamente eletrónica e automação, energia, metalurgia e metalomecânica, ciências informáticas, produção audiovisual e técnicos comerciais.

Aep

De acordo com o presidente da AEP foram estas as áreas que a associação, “através do contacto” com os seus associados, “identificou como mais atualmente procuradas pelo tecido empresarial”.

As ações de formação terão lugar em cidades da Área Metropolitana do Porto, bem como em Chaves, Amarante, Guimarães, Aveiro, Covilhã, Viseu e Coimbra, nomeadamente através dos Centros de Serviços e Apoio às Empresas (CESAE).

“Além de dar formação, procuramos que as empresas sintam que ao admitirem estes desempregados estão a melhorar as suas competências e a contribuir para o aumento de competitividade”, concluiu Paulo Nunes de Almeida.

Já Jorge Barbosa Gaspar sublinhou que “o ponto de partida que o IEFP segue é de que não sabe fazer tudo sozinho e não faz tudo sozinho e não quer fazer tudo sozinho”, pelo que “procura junto dos seus parceiros uma rede que possa trabalhar muito próxima das empresas para formação em contexto de trabalho”.

*Jornal de Oleiros/Lusa

 

 

Esta entrada foi publicada em Destaques, Economia, Inclusão. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *