Misericórdia de Castelo Branco abre cuidados continuados a 01 de agosto

FINALMENTE

O provedor da Misericórdia de Castelo Branco disse hoje à agência Lusa que a Unidade de Cuidados Continuados Integrados (UCCI) abre a 01 de agosto.

Cardoso Martins

“Estão reunidas todas as condições para a UCCI abrir no dia 01 de agosto. Há a garantia da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC) de que a UCCI vai ser colocada na Plataforma da Rede Nacional de Cuidados Continuados a partir de 01 de agosto”, disse Cardoso Martins.

O provedor da instituição explicou ainda que, dias antes, “provavelmente a 29 de julho”, será assinado o contrato-programa de acordo entre os Ministérios da Saúde e da Solidariedade e Segurança Social e a Misericórdia de Castelo Branco.

“Os funcionários já ali estão há algum tempo [na UCCI] e estão ansiosos por começar a trabalhar. Penso que vai tudo resultar”, adiantou.

Segundo Cardoso Martins, a abertura da UCCI da Misericórdia de Castelo Branco devia ter acontecido a 01 de julho, mas, devido à falta de assinatura do contrato-programa entre as três instituições envolvidas no processo, a abertura foi adiada para 01 de agosto.

Unidade de Cuidados Continuados sa SCMCB

Unidade de Cuidados Continuados sa SCMCB

A Misericórdia local tem tudo pronto para que se proceda à abertura da UCCI desde 18 de junho, incluindo a admissão de funcionários a quem teve que pagar os ordenados referentes ao mês de junho, num encargo para a instituição de 36.400 euros.

A UCCI, um investimento de cinco milhões de euros, representa para a Misericórdia local um encargo mensal de 15 mil euros, devido ao recurso a um empréstimo bancário no valor de dois milhões de euros.

A abertura da unidade tem sido alvo de constantes adiamentos.

Depois de estar concluída e fechada durante um ano, em fevereiro de 2014, durante as comemorações dos 500 anos da Misericórdia local, o secretário de Estado Adjunto do ministro da Saúde, Leal da Costa, deixou em Castelo Branco a promessa de que a UCCI iria abrir em maio, o que não se veio a concretizar.

O prazo para a sua abertura, segundo Cardoso Martins, passou então para 01 de julho, o que também não veio a acontecer.

*Jornal de Oleiros/Lusa
 

 

Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Economia. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *