10º Festival da Melancia atrai milhares de visitantes

LADOEIRO

A 10ª edição do Festival da Melancia do Ladoeiro recebeu este fim-de-semana milhares de visitantes e consolidou-se entre os melhores eventos gastronómicos da região.

Seduzidos por um dos principais produtos da campina de Idanha-a-Nova, os visitantes desfrutaram ainda de um programa cheio de música, atividades culturais e muita animação.

O evento visou ainda a dinamização da economia local, gerando, para mais de uma centena de produtores, uma excelente oportunidade de promoção e escoamento dos seus produtos regionais, contribuindo assim para o desenvolvimento sustentável do concelho.

Joaquim Soares, Idalina Costa, Armindo Jacinto

Joaquim Soares, Idalina Costa, Armindo Jacinto e Gonçalo Costa

Foi uma das mais bem-sucedidas edições daquele que é “provavelmente o melhor festival mundial dedicado à melancia”, afirmou, na inauguração, o presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova.

Armindo Jacinto constatou que o prestígio da melancia do Ladoeiro “chama pessoas de todo o país e não só”, para um festival que é hoje uma referência na afirmação dos produtos endógenos.

Por seu lado, o presidente da Junta de Freguesia de Ladoeiro, Gonçalo Costa, louvou este 10º Festival da Melancia como um dos “melhores de sempre”, graças ao admirável ritmo de escoamento do fruto e a um “cartaz de animação muito forte”.

Uma das novidades do festival foi apresentada pela Hortas D’Idanha, empresa participada pelo município, por produtores e agentes económicos, que introduziu a melancia preta riscada, uma nova variedade que se junta à melancia riscada e à melancia sem semente.

A Hortas D’Idanha, que trabalha com cerca de 20 produtores de melancia, introduz anualmente no mercado 1.500 toneladas deste fruto, valor que tende a crescer.

Festival_Melancia

Outros momentos altos do certame foram a eleição da melancia mais pesada, prémio arrebatado por um exemplar de 19,28 Kg da Quinta do Aboiz, e o VIII Concurso de Escultura em Melancia (Pedro Novo – 1º prémio de 250 euros; Nelson Brito – 2º prémio de 150 euros; Rui Sequeira – 3º prémio de 80 euros).

O evento propôs um cartaz musical com The Lucky Duckies, Cuba Libre e vários grupos da região.

O festival foi uma organização conjunta da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova e da Junta de Freguesia de Ladoeiro, promovida pela Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa e pelo PROVERE Beira Baixa, e cofinanciada pelo QREN, no âmbito do Programa Mais Centro e da União Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Esta entrada foi publicada em Destaques, Economia, Idanha-a-Nova. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *