Escola vence prémio “Ciência na Escola”

IDANHA-A-NOVA

A Escola Básica do 1.º Ciclo de Idanha-a-Nova (EB1) venceu o 2º escalão do Prémio Fundação Ilídio Pinho “Ciência na Escola”, no valor de 10 mil euros, cuja entrega decorre em setembro, foi anunciado.

1633-remodelacao-e-ampliacao-da-eb1-de-idanha-a-nova-idanha-a-nova-2007-hr-01

“Este é o reconhecimento do trabalho que foi realizado ao longo do ano. Trata-se de um projeto muito científico, que tem o objetivo de estimular as ciências no 1.º ciclo”, disse à agência Lusa a coordenadora do projeto.

Laurinda Geraldes explicou que a EB1 de Idanha-a-Nova concorreu com um projeto intitulado ” Os pequenos boticários”, o qual passou à segunda fase e foi considerado de mérito.

O produto final foi a confeção de um champô em barra, tendo como base as essências de plantas autóctones, como o rosmaninho.

Rosmaninho

Rosmaninho

“Utilizamos o rosmaninho, uma planta autóctone de Idanha e fizemos o champô em barra. A produção foi feita pela escola e a comercialização do produto está a ser feita através dos Produtos de Idanha”, referiu Laurinda Geraldes.

Para a concretização deste projeto foram elaboradas diversas atividades em parceria com entidades como a Câmara de Idanha-a-Nova, Universidade de Ciências de Lisboa, Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova e empresas da região.

Os alunos das seis turmas que participaram no projeto realizaram saídas de campo, para recolher a flor do rosmaninho e, posteriormente, fizeram a destilação por arrasto de vapor, da qual resultou o óleo essencial e água floral de rosmaninho.

A partir daqui, procederam à decantação destes elementos.

A 11.ª Edição do prémio Fundação Ilídio Pinho foi subordinada ao tema “Ciência e Tecnologia para a rentabilização dos Recursos Naturais”.

Logotipo

A Fundação Ilídio Pinho, em conjunto com os Ministérios da Educação e Ciência e da Economia, celebraram um protocolo com vista à instituição de um prémio anual, o Prémio Fundação Ilídio Pinho “Ciência na Escola”.

O objetivo passa por estimular o interesse dos alunos pelas ciências através do apoio a projetos inovadores.

*JO/Lusa

 

 

Esta entrada foi publicada em Destaques, Idanha-a-Nova. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *