FRONTEiRAS coloca arquitetos a debater património

IDANHA-A-NOVA

Decorreu em Idanha-a-Nova, desde dia 14 de julho, a segunda edição do FRONTEiRAS, seminário luso-espanhol de arquitetura, património e paisagem. 

Mais de 85 pessoas dos dois lados da fronteira, entre estudantes e profissionais de arquitetura, estão a participar neste encontro durante toda a semana, trabalhando as realidades das aldeias históricas de Idanha-a-Velha e Monsanto, no concelho de Idanha-a-Nova, e ainda de Alcántara, em Espanha.

O seminário visa promover as relações transfronteiriças, dando especial atenção às questões relacionadas com a desertificação do interior e do desenvolvimento territorial. Para isso promove workshops, sessões críticas e conferências com conceituados arquitetos portugueses e espanhóis.

O FRONTEiRAS tem como promotores institucionais o Município de Idanha-a-Nova, a Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova e o Ayuntamento de Alcántara

fronteiras2.

Na abertura do seminário, o presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, sustentou que a intervenção sobre o património pode ser um fator de criação de riqueza e emprego, sempre que contribua para a sustentabilidade das populações que residem no território.

O autarca desafiou os participantes a apresentarem projetos para melhorar a mobilidade no acesso ao castelo de Monsanto e para preservar e valorizar o riquíssimo património histórico-cultural de Idanha-a-Velha.

Dirigindo-se à organização do FRONTEiRAS, constituída por BSO arquitectura, Phyd Arquitectura e Restelo 30, Armindo Jacinto deixou outro desafio: a instalação da sua sede na Incubadora de Indústrias Criativas em Idanha-a-Velha.

fronteiras4

Eduardo Baleiras, da Restelo 30, observou, na abertura dos trabalhos, que Idanha-a-Nova e Alcántara são territórios especialmente interessantes para a abordagem proposta pelo FRONTEiRAS. Aproximam-nos as características que partilham, desde o peso do sector agrícola na economia, aos traços identitários ou a morfologia dos solos.

Após a semana de trabalhos, a apresentação das conclusões e o encerramento do seminário decorreu ontem, dia 19 de julho, no Centro Cultural Raiano., das quais daremos notícia no decorrer das próximas edições online.

Esta entrada foi publicada em Destaques, Idanha-a-Nova. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *