Aldeias de Xisto decidem estratégia para o próximo quadro comunitário de apoio

VOTAÇÃO DECORRE EM CASTELO BRANCO

Os associados da ADXTUR – Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias de Xisto vão hoje decidir, através de votação “online”, o posicionamento estratégico da rede para o próximo quadro comunitário de apoio.

Aldeia Foz de Égua

Aldeia Foz de Égua

“O objetivo é preparar aquilo que é o posicionamento estratégico da rede no quadro do próximo período de programação comunitária, que resultará num programa de ação das aldeias de xisto, para depois ser candidatado aos diversos instrumentos nacionais, regionais e locais, disponíveis para esse efeito”, disse hoje à agência Lusa o coordenador da ADXTUR. O processo de votação, que decorre na biblioteca municipal de Castelo Branco, vai contar com cerca de uma centena de associados da ADXTUR, de um total de 200. “Vão estar aqui perto de 100 pessoas, desde logo todas as câmaras municipais, num total de 20 associadas da rede, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), os conjuntos dos Grupos de Ação Local (GAL), que gerem as verbas dos programas Leader e programa 03 do Proder, bem como um conjunto de agentes privados que operam na área do turismo, restauração e animação turística. Grosso modo, está representada a diversidade da base das aldeias de xisto”, sublinhou Rui Simão. AldeiasXisto O responsável da ADXTUR explicou ainda que “[a agência] definiu um conjunto de linhas estratégicas que considerou pertinentes de acordo com aquilo que a Europa quer e que Portugal e a região centro entendem fazer para esse efeito”. “A partir daí, cruzamos as orientações dos documentos estratégicos de referência, com aquilo que é a ambição e a prática de trabalho no terreno da ADXTUR”, disse. A agência definiu um conjunto de linhas de atuação em quatro grandes domínios, desde logo o património natural, património construído e património cultural, base de eficiência económica e social e comunicação e agenciamento da marca e dos bens e serviços. “Dentro destas quatro linhas, existem um conjunto de linhas de ação que consideramos pertinentes realizar, mas não vamos ser nós, tecnicamente nem institucionalmente, a definir a prioridade que atribuímos a cada uma destas linhas”, adiantou. xisto Para o efeito, a ADXTUR convocou todos os associados e cada um deles é que vai escolher essa definição e prioridade. “Do conjunto de cada votação individual, que é apenas o resultado do processamento individual e da visão de cada um perante o futuro, vai ser extraído e trabalhado, através de um algoritmo que foi desenvolvido pela universidade de Aveiro, uma perspetiva conjunta. É a partir desta perspetiva que vamos organizar, quer o nosso plano de ação em termos das grandes linhas de atuação, quer a grelha de análise de projetos futuros que serão propostos à ADXTUR, quer de natureza pública ou privada”, concluiu Rui Simão.

*Jornal de Oleiros/Lusa

   

Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Destaques, Turismo. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *