Câmara do Fundão transforma antiga escola em casa temática dedicada à cereja

EM ALCONGOSTA

A Câmara do Fundão vai transformar a antiga escola de Alcongosta, localidade na qual está concentrada a maior área de cerejal do concelho, numa casa temática dedicada à cereja, disse hoje à Lusa o presidente do município.

Escola de Alcongosta Foto: pedaçosdealcongosta.blogpost.com

Escola de Alcongosta Foto: pedaçosdealcongosta.blogpost.com

Paulo Fernandes esclareceu que o projeto, cujo investimento rondará os 75 mil euros, será enquadrado na estratégia de valorização, promoção e notoriedade da Cereja do Fundão e integrará o conjunto de casas temáticas – ecomuseus – do concelho.

“Começámos com a Casa das Tecedeira, a Casa do Mel, a Casa do Cogumelo e a Casa do Bombo, e agora vamos alargar a rede com a Casa da Cereja, que naturalmente ficará instalada em Alcongosta, mais concretamente na antiga escola primária”, referiu.

O autarca adiantou que a reconversão do edifício prevê a criação de 12 espaços temáticos, os quais permitirão desenvolver “um centro de aprendizagem daquilo que é a cereja e de tudo o que está relacionado com o fruto”.

_Cereja_Burlat

“Dentro da casa haverá zonas mais museológicas, que basicamente apresentam a história da cereja no Fundão e no vale da Cova da Beira. Haverá ainda uma zona dedicada à cereja distribuída pelo mundo, ou seja, que explica quais as zonas produtoras de cereja a nível internacional e depois avançar-se-á para a paisagem cultural da cereja, com apresentação de tudo o que tem a ver com a tradição e cultura em torno da cereja”, apontou.

Paulo Fernandes explicou que o projeto inclui também uma “vertente mais científica”, que pretende analisar os motivos pelos quais “a cereja se dá tão bem na região e quais são os tipos e variedades de cereja existentes na zona”.

Paulo Fernandes

Paulo Fernandes

Esse espaço deverá funcionar como “o ponto de relação com o centro experimental da cereja”, que tem como objetivo o desenvolvimento do estudo relativo às variedades de cereja com maior produtividade e que irá funcionar em alguns pomares de Alcongosta.

Ainda dentro do circuito da visita, está previsto o espaço dedicado aos subprodutos criados em torno da cereja e que vão desde o Pastel de Cereja do Fundão, aos licores, às compotas, às almofadas com caroços de cereja, aos produtos de cosmética, incluindo muitos outros das mais diversas áreas e com inúmeras utilizações.

A futura Casa da Cereja contemplará igualmente a criação de uma oficina do cesteiro e do esparto, que deverá contribuir para preservar e divulgar “o saber ancestral” no fabrico de cestas que são utilizadas na apanha da cereja.

O presidente da autarquia adiantou ainda que a nova casa temática deverá abrir entre fevereiro e março de 2015 e que se manterá em funcionamento permanentemente.

“A ideia é promover a cereja e ter atividade ligada à cereja o ano inteiro, potenciando também outras áreas, como a da turismo de natureza, com os diversos percursos pedestres que temos e entre as quais se inclui a Rota da Cereja”, concluiu.

*Jornal de Oleiros/Lusa

 

 

 

Esta entrada foi publicada em Destaques, Economia, Fundão. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *