Associação contesta instalação de fábrica de bagaço de azeitona em Alcains

A ESCASSA DISTÂNCIA DE UMA ESCOLA

A Triplo A – Associação Ambiental de Alcains contestou hoje a instalação de uma fábrica de secagem de bagaço de azeitona “dentro do perímetro urbano da vila de Alcains” e a escassa distância de uma escola.

Vista aérea de Alcains

Vista aérea de Alcains

“Estamos frontalmente contra a instalação de tal unidade industrial altamente poluidora. Os 12 postos de trabalho, mais cinco para o transporte do material orgânico, que a empresa garante criar com tal investimento não justificam o gritante impacto visual, ambiental e ecológico que a instalação da fábrica criará em Alcains”, refere em comunicado a Triplo A.

A associação ambiental argumenta que a instalação da unidade industrial na vila vai alterar “de forma radical e negativa a qualidade de vida dos alcainenses”.

“Além do fumo que sairá das chaminés de forma incessante durante todo o ano, a população de Alcains e arredores vai estar sujeita a cheiros intensos que, entre outubro e fevereiro, chegam a produzir uma pequena cacimba que obrigará à recolha de roupas e à lavagem dos automóveis”, lê-se no comunicado.

A associação sublinha ainda que “não se consegue compreender a razão da localização da fábrica”.

Largo do Pelourinho em Alcains

Largo do Pelourinho em Alcains

“Ainda para mais, entre outros motivos, quando existe uma muito perto com grande capacidade produtiva e de armazenagem em Vila Velha de Rodão””, dizem.

No documento, a Triplo A exorta “todos os cidadãos a participarem com a associação no sentido de se evitar a concretização de uma decisão com efeitos dramáticos para a qualidade de vida de todos os alcainenses e populações vizinhas” e apela as autoridades públicas para que impeçam “a instalação de uma atividade altamente poluidora a meros 500 metros de uma escola e do aglomerado populacional”.

“Exigimos também, dos nossos representantes eleitos que já decidiram a favor da instalação da fábrica, a alteração de posição, porque esta decisão, manifestamente, é contrária aos interesses da freguesia de Alcains e, até, do concelho de Castelo Branco”, referem.

A Triplo A tem como finalidade o desenvolvimento de ações em defesa da “boa qualidade de vida ambiental”, mas sem esconder “que a origem desta associação foi o anúncio da instalação da fábrica de secagem de bagaço de azeitona, dentro do perímetro urbano da vila de Alcains”.

A agência Lusa tentou obter declarações da junta de freguesia de Alcains e da Câmara de Castelo Branco sobre o assunto, mas ainda não foi possível.

*Jornal de Oleiros/Lusa

 

Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Destaques, Economia. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *