Seminário FRONTEiRAS debate património arquitetónico

IDANHA-A-NOVA

A segunda edição do Seminário Luso-Espanhol FRONTEiRAS iniciou-se hoje e decorre até 19 de julho em Idanha-a-Nova, com o tema “FRONTEiRAS II, Arquitetura, Património e Paisagem”, no contexto das povoações históricas de Idanha-a-Velha e Monsanto e Alcántara (Espanha).

Esta é uma iniciativa Ibérica que vai contar com a participação de 11 localidades (Lisboa, Porto, Évora, Idanha-a-Nova, Covilhã, Castelo Branco, Alcántara, Cáceres, Madrid, Barcelona e Sevilha) e que procura ser um espaço de investigação e encontro da arquitetura luso-espanhola.

FRONTEiRAS_web

O objetivo é o de promover as relações transfronteiriças, dando especial atenção às questões relacionadas com a desertificação do interior e do desenvolvimento territorial.

A programação do seminário inclui workshops de trabalho e conferências de profissionais das áreas de arquitetura, engenharia e paisagismo, onde serão debatidos temas como a reabilitação urbana e enquadramento paisagístico.

Serão convidados os arquitetos Alberto Campo Baeza, Alexandre Alves Costa, Toni Gironés, Ventura Trindade, Iñaqui Carnicero, Bernardo Rodrigues, Ángel Martínez Garcia-Posada, Barbas Lopes, No+12 Arquitectos, Helena Botelho, Miguel Moreira Pinto, Nuno Grande e Santiago de Molina.

Após a semana de trabalhos, a sessão de debate e encerramento do seminário irá realizar-se no dia 19 de julho, às 14h30, no Centro Cultural Raiano.

O FRONTEiRAS tem como promotores institucionais o Município de Idanha-a-Nova, o Instituto Politécnico de Castelo Branco – Escola de Gestão e o Ayuntamento de Alcántara.

Esta entrada foi publicada em Economia, Idanha-a-Nova. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *