Quatro em cada cinco crianças do Fundão têm peso apropriado

SEGUNDO ESTUDO DO CENTRO HOSPITALAR DA COVA DA BEIRA

Quatro em cada cinco crianças que frequentam o 3.º ciclo de ensino no concelho do Fundão têm o peso apropriado para idade, revela um estudo tornado público pelo Centro Hospitalar da Cova da Beira (CHCB).

CHCB1

O estudo foi realizado no âmbito do projeto “Como” e resulta de uma parceria estabelecida em janeiro entre o CHCB, a Câmara Municipal do Fundão, o Agrupamento de Centros de Saúde da Cova da Beira e a Ordem dos Nutricionistas.

No trabalho, desenvolvido por uma dietista e por uma nutricionista, foi analisado o peso, a altura e o perímetro abdominal de 658 alunos de vários estabelecimentos de ensino do concelho do Fundão, tendo o mesmo revelado que “79% têm o peso apropriado, 6,7% são obesos, 12,5% estão em estado de pré-obesidade e 1,8 por cento são magros”.

Fundão

As conclusões deste trabalho revelaram ainda que o estado nutricional destes alunos está “melhor do que a média nacional”, já que “os estudos sobre a população portuguesa apontam para que cerca 30% das crianças tenha excesso de peso e obesidade”, aponta o CHCB.

Além da avaliação antropométrica dos alunos, a equipa realizou, ao longo destes seis meses, inquéritos de avaliação dos hábitos alimentares, recolheu a opinião dos alunos sobre as cantinas escolares e verificou qual a prática da atividade física.

“Foi ainda avaliada a disponibilidade alimentar em meio escolar através de visitas aos bares e análise das ementas de todas as escolas. Para além da população escolar, o estudo avaliou ainda as ementas de 16 instituições particulares de solidariedade social (IPSS) do concelho do Fundão”.

Obesos

Desta análise, conclui-se que “as ementas estão, na sua maioria, bem construídas”, estando de acordo com as regras impostas pelo Ministério da Educação, enquanto nas IPSS “há uma imensa margem de progressão”, disse a dietista Sofia Garcia.

As duas especialistas sugeriam, então, a introdução de melhorias nas ementas e “as sugestões foram bem acolhidas”, tal como acrescentou a nutricionista Adriana Marcelino.

Na nota de imprensa do CHCB, é ainda referido que o projeto tem o “objetivo de educar e incentivar hábitos alimentares saudáveis através da intervenção direta de especialistas nas áreas de Dietética e Nutrição” e que “o interesse do projeto levou as entidades promotoras a reunirem esforços para apresentarem uma candidatura à Fundação Calouste Gulbenkian para assegurar a continuidade” do mesmo e alargá-lo a toda a região da Cova da Beira.

*Jornal de Oleiros/Lusa

 

Esta entrada foi publicada em Ciência e Tecnologia, Destaques, Educação, Fundão. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *