“Geração do Tejo” dá nome a local emblemático

EM VILA VELHA DE RÓDÃO

Amanhã, dia 13 de julho, às 09h30, no cais fluvial de Vila Velha de Ródão, vai decorrer uma homenagem aos arqueólogos que mais diretamente estiveram envolvidos no inventário e estudo da Arte Rupestre do Tejo.

Arte Rupestre

Neste dia irá proceder-se ao descerramento da placa toponímica alusiva à “Geração do Tejo” e será dado a conhecer o protocolo relativo à constituição da Escola Internacional de Arqueologia, parceria que envolve o município de Vila Velha de Ródão, a Direcção-Geral do Património Cultural, o Museu Nacional de Arqueologia, o Centro Português de Geo-História e Pré-História, aFaculdade de Letras da Universidade de Lisboa e o Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa (UNIARQ).

Arte Rupestre 1

Esta ação coincide e articula-se com o programa do I Encontro Nacional de Contos Indígenas: Contos Primevos dos Rios Sagrados, complementa e reforça a intervenção realizada pela autarquia no cais fluvial e nas zonas envolventes, espaço privilegiado para a realização de iniciativas de natureza cultural, desportiva e de lazer.

Estará presente o Diretor do Museu Nacional de Arqueologia, António Carvalho, e alguns dos arqueólogos envolvidos nos trabalhos da Arte Rupestre do Tejo entre eles, Luís Raposo e Francisco Henriques.

 

 

Esta entrada foi publicada em Destaques, Vila Velha de Ródão. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *