Centros de saúde de Castelo Branco sem sistema informático

UTENTES RECLAMAM DIARIAMENTE

Os dois centros de saúde de Castelo Branco estão sem sistema informático desde o dia 17 de junho e a situação ainda não está normalizada, disse hoje um responsável de saúde.

“O sistema informático dos centros de saúde de Castelo Branco ainda não se encontra 100% operacional, desde a avaria do dia 17 de junho. Os doentes têm consultas, receituário e acesso aos meios complementares de diagnóstico e certificados de incapacidade. Apenas a receita, em triplicado, esteve prejudicada até ao dia 02 de julho”, disse hoje à agência Lusa o presidente da Unidade Local de Saúde (ULS) de Castelo Branco.

António Vieira Pires

António Vieira Pires

Vieira Pires sublinhou que “ainda não é conhecido o dia em que o sistema fique na sua normalidade”.

“Mas pensamos que se verificará brevemente, havendo em cada dia que passa mais administrativos a serem reconhecidos pelo sistema”.

O responsável da ULS de Castelo Branco referiu que foi dado conhecimento da situação à Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC).

Vieira Pires disse ainda que a complexidade detetada pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), “que tem estado bastante atenta à situação, teve como prejuízo a perda de alguns registos, que terão que ser efetuados posteriormente”, concluiu.

A direção distrital do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas disse hoje estar “indignada” e denunciou “a falta de respeito pelos utentes e profissionais dos centros e extensões de saúde do concelho de Castelo Branco”.

Centro de Saúde de S. Tiago

Centro de Saúde de S. Tiago

Em comunicado, o sindicato refere que se desconhece até ao momento “quando a situação anómala, até pelo tempo que já decorreu desde a avaria, é reposta” e sublinha “o desânimo e revolta que está a ser vivido por profissionais e utentes nas unidades de saúde” do concelho de Castelo Branco.

À Lusa, fonte da direção distrital do sindicato, realçou ainda a preocupação com os dados clínicos dos utentes e lamenta que “ninguém esclareça o assunto”.

Segundo o sindicato, além dos dois centros de saúde de Castelo Branco, “está em causa o funcionamento das 19 extensões de saúde do concelho”.

 *JO/Lusa
Esta entrada foi publicada em Castelo Branco, Destaques. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *