Empresa introduz no mercado uma nova variedade de melancia

HORTAS D’IDANHA NO LADOEIRO

A empresa Hortas D’Idanha vai introduzir na campanha deste ano a melancia preta riscada, uma nova variedade que se junta à melancia riscada e à melancia sem semente.

Melancia do Ladoeiro

Melancia do Ladoeiro

“A exemplo daquilo que tem sido a nossa preocupação em anos anteriores, este ano lançamos no mercado a melancia preta riscada”, disse hoje à agência Lusa fonte da direção da empresa.

Joaquim Soares, vereador da Câmara de Idanha-a-Nova e dirigente da Hortas D’Idanha, empresa participada pelo município, por produtores e agentes económicos locais, explicou que esta nova variedade pretende responder aos anseios do mercado nacional, cuja maior fatia de comercialização é de melancia preta.

“Há dois anos, lançámos a melancia sem semente riscada e este ano a nossa preocupação centrou-se na procura de uma melancia preta riscada. A melancia tradicional da região é a melancia riscada”, sublinhou.

A maior parte da produção da nova variedade de melancia produzida na campina de Idanha-a-Nova é oriunda da incubadora de base rural da herdade do Couto da Várzea.

Joaquim Soares referiu que a recetividade por parte dos produtores a este novo desafio “foi excelente”.

Joaquim Soares

Joaquim Soares, vereador da Cãmara Municipal de Idanha-a-Nova e responsável da empresa Hortas D’Idanha

vereador da Câmara de Idanha-a-Nova e dirigente da Hortas D’Idanha, empresa participada pelo município

vereador da Câmara de Idanha-a-Nova e dirigente da Hortas D’Idanha, empresa participada pelo município

A Hortas D’Idanha conta com 20 produtores de melancia e uma área total de produção de 30 hectares.

O dirigente da empresa agrícola sublinhou que se tudo correr bem nesta campanha, conseguirá “ultrapassar-se as 1.500 toneladas de melancia a introduzir no mercado”.

A produção de melancia na Hortas D’Idanha tem vindo a aumentar 20% ao ano e, nesta campanha, Joaquim Soares espera atingir novamente a mesma percentagem de crescimento.

A empresa quer aumentar a exportação de melancia, sobretudo para a Suíça, Espanha e França.

Joaquim Soares referiu que os contactos já foram encetados e estão bem encaminhados, sendo que o objetivo passa por dar continuidade ao mercado de melancia espanhol que termina daqui a 15 dias.

 
*Jornal de Oleiros/Lusa 

 

Esta entrada foi publicada em Destaques, Economia, Idanha-a-Nova. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *