Misericórdia do Fundão investe em ler para doentes de Alzheimer

CENTRO COMUNITÁRIO DAS MINAS DA PANASQUEIRA

A Santa Casa da Misericórdia do Fundão (SCMF) anunciou hoje que quer transformar o Centro Comunitário das Minas da Panasqueira, no concelho da Covilhã, num espaço com condições para receber utentes com Alzheimer e outras demências.

“Pretendemos que este centro, no qual já funciona um lar de terceira idade, também venha a afirmar-se como um equipamento diferenciador que responda aos utentes com demência, uma vez que, na região, não há espaços desta natureza e que tenham capacidade para responder às especificidades das pessoas que têm estas patologias”, disse o provedor da SCMF, Jorge Gaspar.

O projeto já está a ser desenvolvido e, numa primeira fase, o espaço foi alvo de obras de ampliação e remodelação no valor de 1,5 milhões de euros (comparticipado em 75%), que serão inauguradas no domingo pelo secretário de Estado da Segurança Social, Agostinho Branquinho.

Em declarações à agência Lusa, Jorge Gaspar adiantou que a adaptação a lar para utentes de Alzheimer será realizada “paulatinamente” e que a primeira ala destinada a esses doentes deve entrar em funcionamento em 2015.

“Os nossos funcionários vão agora fazer a necessária formação específica em contexto de trabalho e, depois de realizarmos mais algumas pequenas obras de adaptação no espaço interior e exterior, pretendemos abrir uma primeira ala destinada a esta valência”, apontou.

Doente com Alzheimer

Doente com Alzheimer

Jorge Gaspar explicou, ainda, que o projeto surge com o objetivo de dar uma “resposta social diferenciadora e única na região, colmatando assim uma “clara necessidade”, que é sentida nesta área.

“Só a nível dos serviços prestados pela SCMF verificamos que temos várias pessoas com este tipo de patologias, em número que permitiria preencher a capacidade deste equipamento social”, destacou.

Este responsável esclareceu, também, que as obras já realizadas visaram “requalificar o edifício, que estava bastante degradado”, adaptando-o “às exigências legais” e melhorando o conforto oferecido.

Além disso, a intervenção também permitiu aumentar a capacidade de 27 para 54 camas daquele que foi o antigo Hospital das Minas da Panasqueira, que era propriedade daquela exploração de volfrâmio e foi doado à SCMF em 1997, acolhendo o lar de terceira idade, entre outros serviços, desde 1999.

*Jornal de Oleiros/Lusa

 

 

Esta entrada foi publicada em Ciência, Destaques, Fundão. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *