Estreias e regressos marcam a Volta a Portugal em bicicleta

O JORNAL DE OLEIROS ESTEVE EM LISBOA NA APRESENTAÇÃO DA PROVA

Serão onze dias de competição e 1613,4 km. Com início, este ano mais cedo, a 30 de julho e final a 10 de agosto. Equipas serão dezasseis. As seis equipas nacionais com estatuto continental, uma seleção portuguesa e mais nove estrangeiras dos vários continentes. É a 76º Volta a Portugal Liberty Seguros, apresentada na passada ontem, em Lisboa, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Lisboa, cidade que recebe a última etapa no dia 10 de agosto.

Joaquim Gomes

Joaquim Gomes

Serão dez etapas após o prólogo inicial de Fafe com um dia de descanso pelo meio.

Até à chegada a Viseu, cidade que acolhe este ano o final da etapa 6 da prova rainha do ciclismo nacional, a 5 de agosto e que acolhe o dia de descanso com todas as iniciativas habituais para este dia e mais algumas novidades, a caravana revisitará alguns locais e concelhos que há já algum tempo não visitava.

O diretor da prova Joaquim Gomes chama a atenção para a sequência de quatro dias sempre a subir na primeira fase da prova. “A chegada a Braga, Montalegre, à Srª da Graça e depois a chegada à Assunção, em Santo Tirso, são efetivamente quatro dias com quatro chegadas difíceis. Sublinho também as várias estreias de 2014, assim como os regressos de Gondomar e especialmente de Braga que estava há mais de 40 anos afastada dos grandes palcos da Volta a Portugal. De forma inédita iremos ter nesta etapa intermédia um circuito com passagens no Bom Jesus e no Sameiro que vão provocar as primeiras grandes diferenças”.

A camisola amarela e a mascote

A camisola amarela e a mascote

O distrito de Castelo Branco será palco de três etapas: a 7ª, no dia 7 de agosto com partida de Belmonte e chegada Seia, conhecida como a etapa rainha da Volta. A segunda etapa por terras da Beira Baixa será logo no dia seguinte, 8 de agosto com partida, de Sabugal e chegada à cidade albicastrense, naquela que será a maior etapa da prova de 2014. A meta estará instalada na emblemática Avenida Nuno Álvares.

Por fim teremos o contrarrelógio, Oleiros – Sertã, na véspera da chegada a Lisboa, que apesar de ser ligeiramente mais curto do que o habitual, 28,9 kms, poderá trazer grandes alterações da classificação final e decidir mesmo o grande vencedor que será consagrado no coração da capital portuguesa e que é uma estreia da vila do Pinhal Interior nestas andanças de início de etapa.

A etapa final tem também caraterísticas inovadoras com a partida a ocorrer em Burinhosa, concelho de Alcobaça e passagem em Torres Vedras onde será prestada homenagem a Joaquim Agostinho, o maior ciclista português de todos os tempos no ano em que se assinala o 30º aniversário da sua morte.

Segundo as palavras de Joaquim Gomes, diretor da prova, “julgamos ter uma Volta equilibrada com todos os ingredientes para quase duas semanas de intensa luta pela vitória”.

Paulino Fernandes e José Lagiosa, diretor e diretor-adjunto do Jornal de Oleiros

Paulino Fernandes e José Lagiosa, diretor e diretor-adjunto do Jornal de Oleiros

Em relação à estreia da Burinhosa, no mapa da corrida Joaquim Gomes afirmou “só uma prova como a Volta a Portugal pode efetivamente levar um evento de referência a locais como este que não são conhecidos do grande público. A Burinhosa será um palco de prestígio que conduzirá a caravana até Lisboa”

*José Lagiosa

 

 

 

Esta entrada foi publicada em Belmonte, Castelo Branco, Desporto, Oleiros. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *