Faleceu D. Adolfo Suárez, o Homem da transição em Espanha

A. Suarez e o Rei

ÚLTIMA HORA

 

Sereno como sempre

Em desenvolvimento

Notas de rodapé

. Suárez foi também um homem com coragem física pura. Um homem valente. Quando em 1981 houve a intentona militar que queria voltar ao franquismo e a Guarda Civil entrou no Parlamento com metralhadores e obrigou toda a gente a sentar-se, só três não se sentaram: o ministro da Defesa Gutierrez Mellado, Santiago Carrillo e Adolfo Suárez ( Mário Soares seu grande amigo).

. Quando Dom Juan Carlos, seu grande amigo o visitou em casa, já não o conheceu: Perguntou: Quem és?

O Rei respondeu… um teu grande amigo e, passearam juntos no jardim da sua casa;

. A morte da Esposa e o cancro da filha foram duros golpes em Adolfo Suarez;

. Espanha deu-lhe todo o reconhecimento e todo o tipo de prémios. Mereceu tudo.
…………
ESPANHA DE LUTO CERRADO
Adolfo Suarez, figura incontornável da Democracia em Espanha, faleceu este domingo.
 Tinha 43 anos em 1976 quando o Rei Dom Juan Carlos o chamou para a dura tarefa da transição pós ditadura de Franco. Desconhecido da maioria do Povo espanhol, era próximo de Dom Juan Carlos.

Licenciado em Direito, aceitou a dura tarefa e brilhou ao mais alto nível, vindo a ser eleito em Eleições em 1977 e posteriormente em 1979 liderando uma coligação de Centro-Direita.

Mas tarde, em 1981, defrontou outro “monstro” da política espanhola e europeia, Filipe Gonzales e perdeu, retirando-se da política como as boas normas recomendam.

Era um amigo de Portugal, e muito respeitado por todos em Espanha.

PF

Tranquilidade na derrota, missão cumprida.

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

1 Response to Faleceu D. Adolfo Suárez, o Homem da transição em Espanha

  1. Poucos Homens me impressionaram tanto. Vindo do Franquismo, apoiou sempre o futuro Rei e a Democracia. Liderou a RTVE e depois foi chamado pelo Rei a desenpenhar a alta missão de colocar a Espanha na Democracia. Mais importante ainda é o facto de não ser Monárquico. D. Adolfo Suárez era Repúblicano. Tejero de Molina quando invadiu o Parlamento em Espanha, pensava contar com o seu apoio e o do Rei, mas ambos queriam a Democracia. Conviveu com Dolores Ibarruri, com Santiago Carrilho ambos Comunistas e teve uma relação priveligiada com Filipe Ganzalez do PSOE. Aliás as fotos da época são reveladoras da amizade.
    Homem normal, fumava e gostava de toiros, tem um lugar na História de Espanha assegurado. Aliás, a Espanha, nunca o esqueceu e a intervenção de Rubalcaba do PSOE é disso reveladora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *