Festival Literário em Alcains e Castelo Branco – Biografias (II)

 

Festival Literário

BIOGRAFIAS 
Em desenvolvimento
Fernando Dacosta
 

Romancista, dramaturgo, conferencista, jornalista, nasceu em Angola, de onde saiu, em criança, para o Alto Douro.

Fixado em Lisboa, cursa Letras e inicia-se no jornalismo e na literatura. Integrou as redações de órgãos de comunicação como a Flama, o Diário de Lisboa, o Diário de Notícias, O Jornal, o Público e a Visão.

Tem mais de 25 obras publicadas, entre as quais se destacam a peça Um Jipe em Segunda Mão, sobre a Guerra Colonial (Prémio de Teatro da RTP, da Associação Portuguesa de Críticos, da Casa da Imprensa), o romance O Viúvo (Grande Prémio Círculo de Leitores-LER), as narrativas Moçambique, Todo o Sofrimento do Mundo (prémios Gazeta e Fernando Pessoa), Os Retornados Mudaram Portugal (prémio Clube Português de Imprensa), Máscaras de Salazar e Os Mal-Amados, e o álbum Salazar: Fotobiografia.

Em 1995 foi agraciado com a Ordem do Infante D. Henrique e, em 2013, eleito sócio correspondente da Academia de Ciências de Lisboa, secção de Letras.

 

Fernando Dacosta

 

 

 

 

 

 Maria João Lopo de Carvalho

Licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas. Foi professora de português e de inglês e trabalhou como copywriter em publicidade. Passou ainda pelas áreas de Educação e Cultura na Câmara Municipal de Lisboa. O seu primeiro bestseller, Virada do Avesso, foi publicado pela Oficina do Livro em 2000. Tem mais de 50 títulos editados, entre romances, livros de crónicas, manuais escolares e dezenas de livros infantojuvenis, a maioria deles no Plano Nacional de Leitura. Em 2011, editou o seu primeiro romance histórico, Marquesa de Alorna, que, em pouco tempo, se tornou um êxito de vendas.

 

M. João Lopo Carvalho

 

 

 

 

 

José Pires

É natural de Castelo Branco, onde vive. Foi professor de todos os níveis de ensino, tendo concluído a sua vida profissional no ensino superior, onde lecionou nos últimos 25 anos de atividade docente. É autor de, entre outros títulos, Manifesto do Imaginário (2000), Sonhar com Comenius (2005), Os Lápis Transmaginadores e os Segredos do Castelo Azul (2007), A Viagem (2008) e As Cadeiras de Tiago (2009). Desde 2011 que se tem dedicado à tradução de literatura infanto-juvenil, nomeadamente os quatro volumes da coleção «André Cabelo-em-pé», de Guy Bass; os quatro volumes da coleção «Alien Invaders», de Max Silver; os quatro volumes da coleção «Sea Quest», de Adam Blade; Artemis Fowl: O Código Eterno, de Eloin Colfer; e Dark Lord: The Teenage Years, de Jamie Thompson. Atualmente é membro da Assembleia Municipal de Castelo Branco e presidente da Assembleia de Freguesia de Castelo Branco. Assume ainda a função de Comissário do Festival Literário de Castelo Branco.

 

José Pires

 

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Destaques. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *