Vitória de Guimarães, humilde, dá lição

Vitória

O Vitória de Guimarães venceu a Taça de Portugal

A perder ao intervalo com um golo de enorme sorte por parte do Benfica ( a defesa do Guimarães cortou uma jogada e chutou contra as pernas de um jogador do Benfica) que se via assim a vencer e, de novo, baixou o ritmo de jogo.

Jorge Jesus

Jorge de Jesus, inundado de soberba é conhecido por falta de desportivismo, não consegue felicitar os vários adversários que o vão sucessivamente derrotando, num desaire alargado que só não teve início com o Sporting por estar num ano “negro”, foi depois perdendo sucessivamente com adversários de vários níveis, Estoril, Porto, Chelsea, Guimarães, e acaba de rastos, dividido e indisciplinado.

O Vitória de Guimarães, com jogadores “baratos”, salários em atraso, etc, mostrou a raça que faltou ao Benfica e, pensamos, chegou a hora de Jorge Jesus sair.

O Vitória entra assim na League Europa onde pode colocar as contas em ordem.

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Oleiros. ligação permanente.

2 Responses to Vitória de Guimarães, humilde, dá lição

  1. António Graça diz:

    Jorge Jesus, ficará conhecido como o Victor Gaspar do futebol, não acerta uma!!!

  2. Joaquim Vitorino diz:

    Os portugueses andam de cabeça perdida; não é certamente no futebol que Portugal recupera a decência; salvaguardando clubes pequenos e humildes onde incluo o Guimarães a quem dou os parabéns, não obstante ser simpatizante do Benfica. A falta de Fair Play por parte do treinador do clube derrotado, e dos seus jogadores que chegaram ao cúmulo de não cumprimentar os vencedores, e o Presidente da República, traduzem bem como um povo muda radicalmente, isto é um abuso da democracia que pode custar caro a todos; porque não existe crise que o justifique. Mas o mais grave, são os termos utilizados por Jornalistas e comentadores políticos, que não poupam as mais altas instâncias do poder, para aumentarem audiências e vendas de Jornais; este não é o rumo nem o exemplo, que Portugal deve tomar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *