Câmara de Oleiros e Hotel Santa Margarida promovem a região

O moderno Hotel Santa Margarida, em Torna, Oleiros, recebeu no passado fim-de-semana uma visita educacional de cerca de uma vintena e meia de convidados, na sua maioria agentes de viagens, representantes da Abreu Online, Lifecooler, HotelBed, Smilo, VT Operadores e Welcomebeds. Visita essa que também serviu para dar a conhecer algumas das potencialidades da região.

O evento foi promovido pela Modo Distinto no âmbito da assessoria na gestão comercial e de promoção daquela unidade hoteleira de 4 estrelas.

Quanto ao Hotel Santa Margarida, ao qual o Opção Turismo já se referiu anteriormente, é propriedade da Câmara Municipal de Oleiros, gerido pela empresa Georural-Actividades Hoteleiras e tendo como directora geral Maria da Conceição Rocha, também sócia da Georural.

Esta moderna unidade hoteleira, inaugurada em Outubro último, emprega actualmente 14 funcionários, incluindo a sua directora geral, e tem Sofia Alves, como responsável pela Recepção.

Outro elemento chave é o chef Leonel Barata, que tem vindo, de certo modo, a revolucionar as ementas do Restaurante Callum, utilizando os melhores produtos frescos locais.

Saliente-se que uma das grandes apostas do Hotel Santa Margarida é a gastronomia, sendo já de referenciar como especialidades do Restaurante Callum, os típicos maranhos, o cabrito estonado e o polvo com castanhas.

Apesar do mau tempo que obrigou a uma mudança do programa previsto, nomeadamente no que concerne aos locais, foram dois dias bem passados e divertidos.

No sábado, por exemplo, a proposta do almoço era um magusto no Miradouro do Cabeço do Mosqueiro, um “ninho” de águias transformado em parque de merendas e que oferece – em dias de sol – paisagens deslumbrantes, tendo o rio Zêzere a correr pelo seu leito sinuoso num profundo vale a mais de 350 metros. Dele avista-se as serras da Gardunha e da Estrela, o vale glaciário de Alforfa, os Penedos de Góis e as serras xistentas de Açor, Lousã e Cabeço da Rainha.

A constante chuva, fria e por vezes bem forte, “transferiu” o magusto para um amplo e bem apetrechado telheiro da Associação Cultural da Póvoa da Ribeira e nada foi perdido! Ou talvez mesmo, se tenha ganho não só no regionalismo como também em originalidade.

Os “comes” começaram por uma sopa de cogumelos silvestres, legumes e mais uns q.b., da autoria do chef Leonel Barata, quentinha como se impunha para derreter o frio.

Seguiram-se os grelhados geridos por dois “especialistas” na grelha sobre bidão cortado ao meio com carvão sempre no ponto, eram variados: entremeada e costeletas de javali, entremeada de porco, costeletas de borrego e chouriço. Para acompanhar, batatas assadas a murro, arroz de feijão e salada.

Bebidas também não faltaram bem como a sobremesa: mousse de castanhas com geleia de medronho.

No final, as castanhas assadas, a água-pé, o medronho e o café!

A animação também foi interessante com as actuações do Grupo Folclórico do Orvalho e de dois acordeonistas. Para rebater, a empresa de turismo e aventura Grau 5, organizou umas brincadeiras para animarem (ainda mais) a malta.

Antes do almoço, uma visita à sede da Junta de Freguesia de Orvalho onde o seu presidente, Paulo Brás, apresentou um filme sobre a freguesia e suas potencialidades. Uma oportunidade para se ouvir também o Dr. Carlos Carvalho que explicou de forma sucinta o que era o GeoPark Naturtejo.

O dia de sábado fechou, como se costuma dizer, com “chave de ouro”. Ou seja, um jantar gourmet presidido pelo presidente da autarquia de Oleiros, comendador José Marques. A ementa do repasto oferecia o Bacalhau com broa e o Cabrito assado. Para sobremesa, outra especialidade da região: pudim de carolo.

Em termos de animação não podia ter sido melhor a escolha. O Grupo Torre d’Anto, composto por “quatro doutores” de Coimbra, preencheu o final do jantar com canções e fados de Coimbra e também de autores bem conhecidos como Zeca Afonso, Adriano Correia de Oliveira e outros.

O dia, ou melhor, a noite oficial terminou com algumas palavras do presidente da Câmara Municipal de Oleiros, há 27 anos no cargo, que fez uma contou de maneira fácil e simples o evoluir do concelho, dos anos 80 até então.

José Marques salientou, entre outros pontos, que o concelho está hoje dotado de infra-estruturas invejáveis e de apoio à população, mas não de obras megalómanas, e também que é o segundo concelho do país com menos desemprego. Vivemos uma época particularmente difícil em que devemos ser solidários e saber ult6rapassar as adversidades, disse o autarca, acrescentando que a nossa estratégia passa por trazer pessoas a este território, evidenciando uma capacidade de oferta notável que se vem consolidando a cada dia que passa.

Domingo, ao contrário do dia anterior, acordou solarengo, sem nuvens. E, porque é domingo, dia de descanso, o programa apenas comtemplou a visita à aldeia de xisto de Álvaro, sobranceira ao rio Zêzere, acomodada na albufeira do Cabril.

O grupo, tal como no dia anterior, foi acompanhado pela Engª Inês Martins, do Gabinete de Comunicação da C.M. de Oleiros.

A aldeia de Álvaro é uma das “aldeias brancas” da Rede das Aldeias de Xisto e teve um passado não só de grande importância na região como também de alguma riqueza económica. O seu património religioso mostra que também foi uma povoação importante para as ordens religiosas.

É de aconselhar fazer o chamado circuito das Capelas, dotado de uma importante panóplia de manifestações de arte sacra, bem como visitar a Igreja da Misericórdia, para se conhecer bem a aldeia.

* Fonte, Modo Distinto Comunicação

 

Hotel Santa Margarida

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Álvaro, Destaques, Economia, Oleiros, Orvalho. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *