Plano Turístico de Proença-a-Nova prevê criação de parque temático sobre insetos

NOS PRÓXIMOS QUATRO ANOS

A Câmara de Proença-a-Nova desenvolveu um Plano de Ação para o Desenvolvimento Turístico para os próximos quatro anos, no qual inclui a criação de um parque temático “com uma forte componente de divulgação científica“.

No documento, a que a agência Lusa teve hoje acesso, o município propõe a criação de um parque temático, com uma área de cinco hectares, que abranja diferentes matérias ligadas ao património local, ao ambiente, à floresta, à ciência e ao desporto.

Segundo o documento, justifica-se o desenvolvimento da proposta de um parque centrado nos insetos, e em particular à abelha, “uma temática que não está ainda explorada a nível nacional e que tem uma forte ligação ambiental e cultural ao território” de Proença-a-Nova.

Este novo polo de atração turística tem como objetivo “impor-se à escala nacional e alavancar a diversificação das atividades económicas do concelho“.

Proença-a-Nova

A autarquia quer articular o parque temático com o Centro de Ciência Viva da Floresta de Proença-a-Nova, sendo que a localização da nova infraestrutura será precisamente na sua proximidade.

A criação de um equipamento cultural no centro de Proença-a-Nova é outra das propostas do Plano de Ação para o Desenvolvimento Turístico, nomeadamente através da reabilitação de um imóvel que a câmara possui no centro histórico da vila (Casa da Memória), com uma vertente museológica.

O documento prevê também a criação de um passaporte cultural com o intuito de fidelizar visitantes.

O plano tem como objetivo que Proença-a-Nova chegue a 2018 “como um concelho consolidado com vocação turística e com fatores de atração à escala nacional, com novos polos de visita e uma dinâmica capaz de contribuir para a fixação de pessoas e para a criação de novos postos de trabalho“.

O presidente da Câmara de Proença-a-Nova realça a importância do turismo no contexto local.

João Paulo Catarino refere, em comunicado, “o contributo que se pretende dar para que a iniciativa privada possa ter mais condições” para investir no setor do turismo.

O autarca sublinha ainda que o objetivo passa por planear intervenções a médio prazo, procurando, para isso, estar na primeira linha de apresentação de projetos no arranque do novo quadro comunitário de apoio.

*Jornal de Oleiros/Lusa

Esta entrada foi publicada em Ciência, Economia, Proença-a-Nova. ligação permanente.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *