Câmara de Idanha-a-Nova não encerra escolas e investe para fixar pessoas

INVESTIMENTO NA EDUCAÇÃO

O presidente da Câmara de Idanha-a-Nova disse hoje que aquele município não vai fechar nenhuma escola do primeiro ciclo e que “está a investir para captar e fixar pessoas“.

Foi acordado em reunião com a Direção de Serviços da Região Centro da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) que não fecha nenhuma escola nem nenhuma sala” em Idanha-a-Nova, disse hoje à agência Lusa Armindo Jacinto.

O autarca explicou que está a investir na educação e a fazer obras de requalificação nos estabelecimentos de ensino, também como forma de captar e fixar pessoas no concelho.

O número de alunos está a crescer quando a expectativa não seria essa e a tendência é de crescer ainda mais“, afirmou.

Armindo Jacinto

Armindo Jacinto sublinhou ainda que “todo este investimento não pode cair e as escolas têm que se manter. Isso foi explicado e defendido nas reuniões com a DGEstE e eles compreenderam“.

A Câmara de Idanha-a-Nova está a investir da requalificação dos estabelecimentos escolares e a dotá-los de meios tecnológicos, além de facultar apoios no âmbito dos livros escolares, transportes de crianças e atividades de ocupação de tempos livres.

Só assim as famílias conseguem encontrar aqui uma oportunidade para se fixarem. Sem escolas, isso é impossível, nestes territórios difíceis“, concluiu o autarca.

Armindo Jacinto recordou também que a autarquia abriu este ano um berçário em Termas de Monfortinho, que conta atualmente com 20 crianças, e que está prestes a abrir outro em Rosmaninhal.

No concelho de Idanha-a-Nova estão identificadas cinco escolas com menos de 21 alunos, que se situam em São Miguel d’Acha, Rosmaninhal, Penha Garcia, Relva (Monsanto) e Termas de Monfortinho.

*Jornal de Oleiros/Lusa

Esta entrada foi publicada em Destaques, Educação, Idanha-a-Nova. ligação permanente.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *